Vida de cachorro

Alemão se recupera em clínica e mobiliza Pelotas

Conhecido na cidade do sul do Estado, cachorro Alemão recebe cerca de 30 visitas por dia e uma média de 50 ligações em busca de notícias são feitas ao veterinário responsável pelo tratamento

Atualizada em 12/04/2012 | 22h2312/04/2012 | 15h57
Alemão se recupera em clínica e mobiliza Pelotas Nauro Júnior/Agencia RBS
Alemão recebe carinho de visitantes Foto: Nauro Júnior / Agencia RBS
Ele frequenta shows, bares e boates. Passa o dia na universidade. Ativista, está em praticamente todos os protestos no Centro Histórico. Já foi ao Rio para um congresso com uma turma de estudantes. Às vezes, vai a jogos de futebol. O prato preferido tem filé, é o bauru de uma das mais tradicionais lancherias da cidade. Quem não conhece o Alemão? É cachorro, mas em Pelotas, no sul do Estado, leva vida de celebridade.

Veja mais fotos do cão Alemão.

Na noite de segunda-feira, Alemão foi atropelado. Apesar de não ter plano de saúde, está internado em uma clínica particular e, por dia, recebe a visita de mais de 30 pessoas. Outras mais de 50 telefonam para o veterinário só para ter notícias do cachorro.

No Facebook, onde Alemão tem uma página e acumula 5 mil amigos, não param de ser postadas mensagens positivas para que ele se recupere logo. Tem até aviso de um dos veterinários responsáveis pelo tratamento, como em um boletim médico, informando sobre o sucesso do procedimento.

— O Alemão é parte da nossa turma. Estamos aqui como estaríamos no hospital, visitando um amigo. Quando voltarmos para a aula todos vão querer saber como ele está — disse a universitária Tânia Silva, 50 anos, em visita à clínica veterinária, com a colega Marcela Terra, 35 anos.

De acordo com o veterinário Paulo Sampaio, o cachorro celebridade, que mora nas ruas, próximo à Universidade Católica de Pelotas (UCPel), ainda vai permanecer internado por, pelo menos, 30 dias. Na rotina, uma alimentação privilegiada: tem telentrega na clínica. De manhã e à tardinha, o dono da lancheria manda entregar bauru para o Alemão, para que ele tenha a mesma refeição do tempo em que morava na rua.

— Ele come ração, mas não passa sem o bauru. Fizemos todos os exames para uma avaliação renal, hepática, triglicerídeos, hemograma e está tudo bem, ele é muito saudável — informa o veterinário Paulo Sampaio.

Alemão tem 10 anos, já pode ser considerado um senhor de idade avançada. Mas se recupera bem. Ele chegou na clínica com uma fratura exposta e com muita perda de tecido, segundo Sampaio. A cirurgia durou duas horas, para reconstituir a pata direita foram usados pinos. Daqui um mês dias, será feito um raio-x e, se ele estiver totalmente recuperado, voltará à sua vida costumeira de personalidade pelotense.
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.