Efeito da chuva

Figueira quase centenária quebra em três partes na zona sul da Capital

Árvore tinha altura de aproximadamente nove metros e sua copa era projetada em 12 metros de diâmetro

17/04/2012 | 19h34
Figueira quase centenária quebra em três partes na zona sul da Capital Ronaldo Bernardi/Agencia RBS
Árvore foi destroçada por chuva forte no último sábado Foto: Ronaldo Bernardi / Agencia RBS
Uma figueira quase centenária não resistiu à chuva do último sábado e desabou, partindo-se em três pedaços, no bairro Lami, na zona sul de Porto Alegre. Um dos galhos chegou a atingir fios da rede elétrica e de telefonia, mas o que deixou os moradores das proximidades mais intrigados foi a queda repentina e a forma impressionante que a copa da árvore tomou depois de ser destroçada pelo temporal.

— Não entendemos até agora como aconteceu. Parece que foi arrancada, mas não havia vento forte, apenas chuva intensa no momento da queda — relatou o administrador Armando Rosa, 46 anos.

Envie sua sugestão de notícia para o e-mail pelasruas@zerohora.com.br

O técnico da Secretaria Municipal do Meio Ambiente (Smam) Flávio Oliveira explica que o tronco da figueira era ramificado em três partes iguais. Durante a chuva, os três galhos se partiram e a copa da árvore, projetada em aproximadamente 12 metros de diâmetro, espalhou-se pelo chão.

— Foi possível observar que a figueira não apresentava externamente qualquer necrose, ou seja, não havia risco de queda iminente — destaca o técnico da Smam.

Morador da propriedade em que ficava a figueira, Rosa também afirma que nunca percebeu qualquer tipo de risco relacionado à árvore:

— Acredito que os galhos não tenham aguentado a força da água, durante a chuvarada — afirma.

Depois da queda, a Smam realizou vistoria na segunda-feira e retirou os galhos caídos sobre o passeio público nesta terça. O tronco da árvore foi mantido, mas não representa perigo para pedestres ou para residências próximas.

Sombra para três gerações

Mais do que embelezar a propriedade, a figueira quase centenária fazia parte da história dos Rosa. Desde que Admar Martins da Rosa, 81 anos, pai de Armando, mudou-se para o bairro, na década de 1960, a árvore era cenário para os encontros de família. Era costume tomar chimarrão no local, fazer refeições nos fins de semana e apreciar os bugios que, às vezes, apareciam ali.

— Foram três gerações que conviveram à sombra da figueira. Agora o nosso local de recreio vai ficar apenas na memória — lamenta o administrador.

Retirada de galhos foi feita nesta terça-feira
Foto: Ronaldo Bernardi


Serviço

Para solicitar vistoria de árvores em áreas particulares, moradores da Capital devem encaminhar um requerimento junto ao Protocolo Central da prefeitura (rua Sete de Setembro, 1.123). E, nestes casos, a responsabilidade da execução dos serviços autorizados é do requerente.

Solicitações de serviços na arborização das vias e logradouros públicos devem ser feitas pelo telefone 156 ou por meio do site da Smam.

Foto: Ronaldo Bernardi
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.