Celebração

Filipinos celebram a Sexta-Feira Santa com violentas crucificações

As filipinas são o país asiático com o maior número de católicos

06/04/2012 | 12h48
Filipinos celebram a Sexta-Feira Santa com violentas crucificações Ted Aljibe, AFP/
Homem teve mãos pregadas durante celebrações nas Filipinas Foto: Ted Aljibe, AFP

Os fanáticos católicos das Filipinas protagonizaram nesta Sexta-feira Santa uma série de exibições de delírio religioso no dia em que o mundo cristão recorda a crucificação de Jesus Cristo. As violentas crucificações, apesar de serem malvistas pela hierarquia da Igreja católica, acabaram se convertendo em atração turística.

O curandeiro Arturo Bating, de 44 anos, estendeu seus braços e manteve uma calma estoica enquanto seus vizinhos o levantavam numa cruz de madeira e cravavam pregos de 10 centímetros em suas mãos.

— Esta é uma promessa que fiz a Deus para que ele proteja minha família das enfermidades — declarou o penitente, vestido com uma bata branca, ao término de sua provação que durou vários minutos e foi acompanhada por dezenas de pessoas.

O arcebispo José Palma, presidente da Conferência de Bispos Católicos das Filipinas, disse que apesar de a Igreja católica não incentivar esta forma extrema de adoração, também não recrimina os que a praticam.

— Nós não julgamos nem condenamos, mas não incentivamos esta prática — afirmou o monsenhor.

A crucificação não é a única forma de extrema penitência praticada nas Filipinas, o país mais católico da Ásia, onde há 75 milhões de fieis. Muitos filipinos realizam atos de piedade mais práticos, como visitar várias igrejas a pé para orar durante a Quinta e a Sexta-feira Santa.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.