Tiroteio em Porto Alegre

Mesmo após ser baleado no braço, policial dirigiu viatura para prender criminosos

Dupla tentou escapar de uma blitz com carro onde havia equipamentos para possível assalto

09/05/2012 | 12h34
Mesmo após ser baleado no braço, policial dirigiu viatura para prender criminosos Lauro Alves/Agencia RBS
Carro dos suspeitos, modelo Fiorino, ficou cravejado de balas Foto: Lauro Alves / Agencia RBS
Uma perseguição, que começou na ponte do Guaíba e terminou no quilômetro 1 da BR-116, resultou na prisão de dois criminosos durante a madrugada desta quarta-feira (um deles morreu logo após ser preso). Até aí, uma operação normal. A diferença está no agente que dirigiu o veículo que abordou os criminosos. Baleado durante o tiroteio, ainda na freeway, ele conseguiu conduzir o veículo até o local onde se deu a prisão.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal, por volta das 4h, um carro com dois homens tentou escapar de uma barreira policial montada próximo à ponte do Guaíba. Foi quando duas viaturas da polícia acompanharam o carro infrator. Durante a perseguição na freeway, por cerca de seis quilômetros, houve troca de tiros.

Dirigindo uma das viaturas, o policial rodoviário, que não teve a identidade revelada, foi atingido no braço esquerdo. No entanto, segundo relato do chefe da comunicação da PRF, Alessandro Castro, ele seguiu conduzindo o carro. Já no acesso da BR-116, na altura do km 1, em Porto Alegre, os dois criminosos pararam o veículo.

Mesmo baleado, o patrulheiro auxiliou na prisão da dupla. O suspeito identificado como Clodoaldo da Silveira, 35 anos, não resistiu e morreu no local durante atendimento médico. Segundo a PRF, ele é foragido da Justiça. O outro suspeito, Paulo Roberto Antunes, 46 anos, foi encaminhado em estado grave para o Hospital Cristo Redentor. Antunes tem passagem pelo sistema prisional.

No veículo utilizado pela dupla, uma Fiorino, foram encontradas duas pistolas e um revólver, um pé de cabra, além de um rádio na frequência da Brigada Militar de Canoas.

— Pelo carro e pelo equipamento, eles iriam cometer um roubo de vulto — disse o inspetor da PRF Paulo Júnior, que participou da ação. — Eles descarregaram as armas e ainda tentaram atirar o carro contra os policiais — descreveu.

O policial baleado foi encaminhado ao Hospital de Pronto-Socorro da Capital, mas liberado na sequência. Alojado no braço, o projétil deve ser removido após cirurgia que ainda será agendada.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.