Operação Cosa Nostra

Polícia pede autorização da Justiça para investigar prefeito de São Leopoldo e três deputados

Ary Vanazzi, Ronaldo Zülke, Alexandre Roso e Ana Affonso, com foro privilegiado, são citados na investigação

23/05/2012 | 15h10

A Polícia Civil encaminhou nesta quarta-feira para a Justiça de São Leopoldo os nomes de autoridades com foro privilegiado citadas na investigação de crimes contra a administração pública.

A apuração começou há um ano na delegacia da cidade e agora está com a Delegacia Fazendária do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic). Os políticos citados são o prefeito Ary Vanazzi, os deputados federais Ronaldo Zülke e Alexandre Roso e a deputada estadual Ana Affonso.

Para que possa investigar os fatos suspeitos, o delegado Joeberth Nunes remeteu o processo da Operação Cosa Nostra e espera resposta do Tribunal de Justiça (TJ) e do Supremo Tribunal Federal (STF).

— Existem pessoas com foro privilegiado as quais foram citadas no âmbito da investigação. Existem elementos que, por ora, inclinam para que sejam investigados, mas no momento não podemos proceder nenhum ato investigatório, sob pena de nulidade — afirma Nunes.

O trabalho da Polícia Civil vem sendo feito em conjunto com o Tribunal de Contas do Estado (TCE). Através da análise dos contratos envolvendo secretarias municipais e o Hospital Centenário, foram encontradas suspeitas de favorecimento em licitações e superfaturamento.

O deputado Alexandre Roso e o prefeito aguardam os desdobramentos e estão à disposição para esclarecimentos. A deputada estadual Ana Affonso ressaltou que as denúncias, até agora, parecem ter apenas interesse eleitoral. O deputado federal Ronaldo Zülke foi procurado pela reportagem, mas ainda não se manifestou.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.