Rota para o frio

Rodovia que liga Bom Jesus a São Joaquim entra na pauta do Daer

Objetivo é concretizar roteiro turístico Caminhos da Neve

03/05/2012 | 15h52
Rodovia que liga Bom Jesus a São Joaquim entra na pauta do Daer Duclerc Silva/Especial
Ponte sobre o Rio Pelotas na divisa entre os dois estados Foto: Duclerc Silva / Especial
Com o frio, as cidades do alto do Rio Grande do Sul e Santa Catarina se tornam atrativos turísticos naturais pelas baixíssimas temperaturas e as chances de presenciar a neve.

Mas ainda são poucos os turistas que se aventuram por 68 quilômetros de estradas de chão, mal conservados, para cruzar os municípios vizinhos de Bom Jesus, nos Campos de Cima da Serra, e São Joaquim, na Serra catarinense.

O desenvolvimento turístico regional passa por essa ligação asfáltica, com a criação da rota Caminhos da Neve. Defendida há pelo menos duas décadas pelas prefeituras das regiões, a nova rodovia entrou em estudo no Departamento Autônomo de Estradas de Rodagens (DAER) para encurtar em 175 quilômetros a ligação entre as duas cidades serranas. O trajeto mais curto impulsionará o turismo atraindo os visitantes da região das Hortênsias aos pontos mais altos, e frios, dos dois Estados.

— Esperamos um acréscimo imediato de pelo menos 30% no número de visitantes — avalia o prefeito de Bom Jesus, José Paulo de Almeida (PMDB).

Estatísticas de entidades turísticas dos dois Estados apontam que a nova rodovia pode desviar o tráfego da BR-116 e da BR-101, permitindo a passagem de pelo menos 500 mil pessoas ao ano na nova rota. Além desse montante, a ansiedade dos municípios é pela pavimentação de 44 quilômetros no Rio Grande do Sul e 24 em Santa Catarina para aproveitar o fluxo turístico da Copa do Mundo de 2014.

No estado catarinense, onde a rodovia já existe e os trabalhos estão contratados, a expectativa da Secretaria de Estado de Infraestrutura é de conclusão do asfalto no primeiro semestre do ano que vem. Apesar de as obras estarem paradas e lideranças pedirem a contratação de uma empreiteira para continuar as obras realizadas pelo Exército, não deve haver atrasos.

— Acreditamos que aumente nosso fluxo de turistas em 200%, favorecendo tanto quem passeia pela região das Hortênsias quanto quem sai do litoral catarinense — diz a prefeita de São Joaquim, Marlene Kayser (PP), que recepciona cerca de mil turistas a cada mês do inverno.

Nova rodovia no RS

Apesar dos trabalhos quase finalizados em Santa Catarina, a situação gaúcha é bem diferente e uma nova rodovia ainda precisa nascer. A rota Caminhos da Neve chegou ao (DAER) no final do ano passado e está em fase de contratação do Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA).

— Estamos concluindo o termo de referência para encaminhar a contratação do EVTEA num prazo seguro de seis meses — garante o superintendente da superintendência de Estudos e Projetos do Daer, Jeferson Couto.

Depois desse estudo ainda será preciso elaborar o projeto para então licitar a obra. Pela experiência de Couto, a execução dos 44 quilômetros da rodovia necessitará de, no mínimo, dois anos para ser concluída a partir do início das obras.

Rota da maçã e madeira

Além de impulsionar o turismo nas regiões dos Campos de Cima da Serra e na Serra catarinense, a rota Caminhos da Neve também irá favorecer o escoamento da safra da maçã e a produção da madeira.

Atualmente, a estrada de chão suporta o transporte de 10 a 15 mil toneladas de maçãs produzidas em São Joaquim e carregadas a câmeras frias de Bom Jesus. A fruta segue pela rodovia levada por caminhoneiros que se arriscam a cruzar a ponte improvisada, de 120 metros, sobre o rio Pelotas.

O ponto, na divisa entre os dois Estados, é o mais crítico da rota. A construção de uma nova ponte também deve ser contemplada pelas obras do Caminhos da Neve. A estimativa é de um investimento de cerca de R$ 5 milhões para uma nova ponte, com estruturas simples.

Caminhos da Neve

— Concluída a rodovia, será possível circular entre as cidades dos Campos de Cima da Serra e da Serra catarinense por estradas asfaltadas. Atualmente não há ligação asfáltica entre as cidades vizinhas Bom Jesus (RS) e São Joaquim (SC)

— Faltam ser asfaltados 44 quilômetros em solo gaúcho e 24 quilômetros no lado catarinense

— A rodovia liga a região das Hortênsias (Gramado, Canela e São Francisco de Paula) a Bom Jesus, levando às cidades catarinenses de São Joaquim e Urubici, onde são registrados episódios de neve e frio intenso todos os anos durante o inverno

— Com a conclusão da rodovia, estima-se que pelo menos 500 mil turistas circulem pelas regiões por ano

— Asfaltada, a rodovia será a de menor distância entre Gramado e Florianópolis, com 430 quilômetros

— Unirá quatro regiões turísticas: região das Hortênsias, Campos de Cima da Serra, Serra catarinense e Litoral catarinense

Encurtando distâncias

Bom Jesus — São Joaquim

Via BR-285 e BR-116, passando por Vacaria e Lages

Distância total: 374 quilômetros asfaltados

Bom Jesus — São Joaquim

Via BR-285 e SC-430 (Caminhos da Neve)

Distância total: 199 quilômetros, sendo 68 de estrada de chão

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.