Perillo na berlinda

Jornalista será o único a responder a perguntas na CPI do Cachoeira

Três depoentes do dia são ligados ao governador de Goiás Marconi Perillo

27/06/2012 | 11h50

Das três pessoas convocadas para depor para nesta quarta-feira na CPI do Cachoeira, somente o jornalista Luiz Carlos Bordoni deverá responder às perguntas dos senadores e deputados que integram a comissão.

O presidente da Agência de Transportes e Obras (Agetop) de Goiás, Jayme Rincón, enviou à comissão um atestado médico se dizendo impedido de comparecer .

A ex-chefe de gabinete do governador Marconi Perillo (PSDB), Eliane Pinheiro, conseguiu no Supremo Tribunal Federal (STF) um habeas corpus garantindo o direito de ficar em silêncio.

O jornalista Luiz Carlos Bordoni prestou serviços para a campanha do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), em 2010. Ele disse em entrevista que foi pago por uma empresa ligada ao empresário goiano Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, suspeito de liderar uma organização criminosa com a participação de políticos e empresários.

Na manhã desta quarta, o jornalista referiu-se ao governador Perilo como seu "ex-amigo" e que estaria o colocando como "bode expiatório" do escândalo envolvendo o governo.

As investigações da Polícia Federal apontaram para um depósito de R$ 45 mil feito pela empresa Alberto & Pantoja na conta de uma filha de Bordoni. Segundo ele, esse depósito é parte do pagamento dos R$ 90 mil que recebeu pelos serviços de rádio prestados na campanha de Perillo.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.