Explicações na CPI

Pedido de quebra de sigilo de Marconi Perillo tumultua reunião

Depoimento do governador de Goiás a deputados e senadores já dura seis horas

12/06/2012 | 16h19
Pedido de quebra de sigilo de Marconi Perillo tumultua reunião Geraldo Magela/Agência Senado,Divulgação
Governador de Goiás explica relações com Carlinhos Cachoeira na CPI Foto: Geraldo Magela / Agência Senado,Divulgação

O depoimento do governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), à CPI do Cachoeira caminha para a sexta hora ininterrupta. O interrogatório, que começou às 10h30min desta terça-feira era feito num clima de tranqüilidade até que o relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), indagou a Perillo se ele concordaria em abrir seu sigilo telefônico para a comissão, o que provocou protestos de parlamentares do PSDB, obrigando a intervenção enérgica do presidente Vital do Rêgo (PMDB-PB).

Defensores do governador alertaram para o fato de Perillo não ser investigado, mas testemunha e criticaram a postura do relator. Para Carlos Sampaio (PSDB-SP), Odair está defendendo interesses do PT ao atacar o governador tucano.

Odair Cunha disse que tem o direito de perguntar já que "houve pontos não foram esclarecidos devidamente pelo governador".

Marconi Perillo, por sua vez, disse não ver motivo suficiente, tampouco fundamentação para quebras de sigilos.

— Esta decisão, contudo, não me cabe, cabe à CPI e ao Judiciário. Vocês é que devem tomar tal decisão — respondeu.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.