Contra enchentes

Governo federal prepara pacote para prevenção de tragédias provocadas por desastres naturais

Entre as medidas previstas estão proteção de encostas, dragagens de rios e fortalecimento das defesas civis

16/07/2012 | 21h04

O governo está fechando um plano nacional para prevenção de desastres. Para isso, está ouvindo os governadores de estados atingidos por tragédias naturais. Nesta segunda-feira foi a vez do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, que apresentou um levantamento do que está sendo feito na região serrana fluminense, que nos últimos anos foi atingida por enchentes e desabamentos de encostas.

O plano, que vem sendo anunciado como um PAC para a prevenção de tragédias, em referência ao Programa de Aceleração do Crescimento, quer reforçar a prevenção em locais em que os desastres são recorrentes.

O pacote deve incluir ações como proteção de encostas, dragagem de rios, fortalecimento das defesas civis, melhoria dos sistemas de alerta e construção de habitações por meio do Programa Minha Casa, Minha Vida.

Cabral se reuniu com os ministros da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, do Planejamento, Miriam Belchior, da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, das Cidades, Aguinaldo Ribeiro e o da Controladoria-Geral da União, Jorge Hage. De acordo com o governador, outros estados deverão apresentar suas demandas até terça-feira.

O governador defendeu os investimentos em prevenção e citou casos de municípios fluminenses, onda as obras de prevenção evitaram tragédias provocadas pelos temporais.

— Nas chuvas do último verão, onde tivemos obras do PAC 1, não houve problema. O plano irá de encontro a muitas décadas de abandono, mas não é um passe de mágica, tem um processo legal a ser seguido e ao mesmo tempo são muitas áreas.

Cabral não adiantou os valores que serão repassados aos estados no novo pacote.

— Isso está sendo discutido, quem pode anunciar é o governo federal.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.