Carro a água

Oficina do Projeto Chambrin é reaberta após três décadas fechada na Capital

As portas lacradas foram abertas com auxílio de serras e pés de cabra nesta manhã

Por: José Luís Costa
02/10/2012 - 13h21min
Oficina do Projeto Chambrin é reaberta após três décadas fechada na Capital Fernando Gomes/Agencia RBS
Comando da BM e PGE foram até a oficina, que ficou fechada por mais de três décadas Foto: Fernando Gomes / Agencia RBS  

Depois de 30 anos lacrada por "ordens de Brasília", a oficina do Corpo de Bombeiros da Brigada Militar (BM) que abrigou uma pesquisa secreta do "carro a água" foi reaberta agora há pouco em Porto Alegre.

Com pé-de-cabra e serra elétrica, bombeiros estouraram as fechaduras, para que o comando da BM e a Procuradoria-geral do Estado (PGE) tivesse acesso ao local e iniciasse a desobstrução do espaço.


Foto: Fernando Gomes

Foram encontrados carcaças de um caminhão, de um Corcel e de um trator, além de ferramentas enferrujadas, latões de combustíveis apodrecidos e peças deterioradas que três décadas atrás fizeram parte de uma experiência secreta cuja pretensão era mudar os rumos da indústria energética mundial.

O material está sendo inventariado e depois removido para um outra unidade da BM, pois o prédio precisa ser reformado para uso dos bombeiros. Parte dos equipamentos pertence à BM e o restante poderá ser doado para estudos na Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Em 1980, a antiga oficina foi cedida pela BM para uma experiência sigilosa, com aval do Palácio Piratini e do Palácio do Planalto, para desenvolver motores de veículos, usando água e álcool como combustíveis.


Foto: Fernando Gomes

O responsável era o engenheiro mecânico francês Jean Pierre Marie Chambrin, já falecido, que entrou em litígio com técnicos do governo federal, responsáveis em avaliar a viabilidade do projeto. O caso foi parar nos tribunais, e, em 1982, o governo federal mandou lacrar o oficina que permaneceu fechada até ontem. 

— Não existe mais nada da experiência. Vamos reformar o Corcel, que pertence à BM, e levar para o nosso museu — afirmou o comandante-geral da BM, coronel Sérgio Roberto de Abreu.

Entenda o caso

— Criador de um reator automotivo que permitia ao carro andar com água e álcool,  contestado em seu país, o engenheiro mecânico francês Jean Pierre Marie Chambrin chegou a Alagoas em 1976, onde tentou vender, sem sucesso, seu invento ao governo federal.

— Depois de conhecer a gaúcha Maria Elena Knüppeln Almeida, servidora da FEE, Chambrin se mudou para Porto Alegre em 1978. O Palácio Piratini se interessou pelo reator, e o francês começou experiências secretas em oficina da Brigada Militar no quartel do Corpo de Bombeiros, em Porto Alegre

— Em, 1982, o reator de Chambrin sofreu críticas de técnicos do governo federal que supervisionavam a experiência, gerando desavenças, e o governo do Estado lacrou a oficina onde estavam veículos e equipamentos. Chambrin morreu sete anos depois, vítima de um infarto. Em agosto de 2011, a BM iniciou reformas no quartel, deparando com a oficina lacrada, desobstruída nesta manhã pela PGE.

>>>Confira a reportagem veiculada em setembro do ano assado

Confira o vídeo que acompanhou a matéria:

 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.