Local inusitado

Via da Capital recebe cinema ao ar livre

Exibição marcada pela internet teve objetivo de abordar o tema mobilidade urbana em rua que passa por obra polêmica

17/01/2013 - 23h13min
Via da Capital recebe cinema ao ar livre  Adriana Franciosi/Agencia RBS
Trechos de documentários foram assistidos por moradores na Rua Anita Garibaldi Foto: Adriana Franciosi / Agencia RBS  

Cangas, cadeiras de praia, almofadas e até papelão se transformaram em poltronas de cinema em meia pista da Rua Anita Garibaldi, bairro Mont'Serrat, na Capital. Passaram no telão, durante quase uma hora, documentários sobre mobilidade urbana selecionados pela organização Shoot the Shit.

Acompanhadas das companheiras bicicletas e dos fiéis amigos cães, centenas de pessoas, a maioria jovem, se reuniram na noite desta quinta-feira no trecho da via logo após a Rua Pedro Chaves Barcelos, em frente à Igreja Nossa Senhora de Mont'Serrat. Em decorrência das obras da trincheira da Anita — que permitirá a travessia de veículos sob a Terceira Perimetral — o local está liberado apenas para o trânsito local.

Pela promessa da prefeitura, a mudança no trânsito irá melhorar o fluxo de veículos na região. No entanto, desde o começo houve contestação por parte da população sobre a necessidade e eficácia da obra. Por isso, o tema mobilidade urbana foi o escolhido para a primeira edição do cinema ao ar livre realizado pela organização que propõe ideias criativas para tratar de problemas da cidade.

— Não gostaríamos que a obra saísse sem o debate com os moradores — explica o designer Gus Bozzetti, 39 anos, integrante do Shoot the Shit.

Sem a formalidade de uma sessão com hora marcada, a junção começou por volta das 20h e a espera por menos claridade do sol foi distraída com a distribuição de giz para os participantes, entre eles crianças, escrevessem e desenhassem no asfalto.

— A ideia não é ser contra nada, mas sim trazer o assunto para reflexão e se divertir — comenta a administradora, Gabriela Guerra, 26 anos, que também faz parte da organização.

De olho no cinema ao ar livre divulgado na internet, o engenheiro civil Bruno Mallmann, 25 anos, quis ver para crer e chegou enquanto a arrumação era feita para propor uma mudança de profissão por uma noite.

— Perguntei se eles tinham pipoqueiros, porque cinema sem pipoca, não é cinema — conta Mallmann.

Sem concorrência, ele providenciou o fogão que utiliza álcool ao invés de gás e o carregou no banco traseiro da bicicleta até a Rua Anita Garibaldi. Com a namorada, a arquiteta Patrícia Cruz, 26 anos, eles garantiram pipoca quentinha que passou de mão em mão entre conhecidos e desconhecidos que curtiram o filme e aplaudiram em pé a iniciativa.

 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.