Chuva e transtornos

Temporal no Rio de Janeiro causa ao menos quatro mortes

Sirenes de alerta de mau tempo soaram em 20 comunidades cariocas na noite de terça-feira

06/03/2013 | 09h45

A população do Rio de Janeiro ainda enfrenta problemas por causa da tempestade da noite de terça-feira. Há ruas submersas, muito lixo espalhado pela cidade e vários bairros sem luz tanto na Capital quanto em municípios da região metropolitana.

A forte chuva provocou quatro mortes. Foram mais de duas horas de chuva torrencial na noite de terça-feira e muita gente teve problemas para voltar para casa na saída do trabalho. De acordo com a Defesa Civil do Estado, duas mulheres morreram por choque elétrico na Zona Sul, um homem morreu atingido por um muro que desabou na Baixada Fluminense e outro homem não sobreviveu ao ser atingido por uma árvore na Zona Oeste.

Um rapaz de 14 anos está desaparecido na Zona Norte, depois de ter sido levado pela enxurrada. A previsão para esta quarta é de chuva forte na Capital, no sul do Estado e na região metropolitana do Rio, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

A Defesa Civil acionou o sistema de sirenes de alerta em mais de 20 comunidades da Capital durante o temporal. As sirenes são acionadas quando chove mais de 40 milímetros (mm) em uma hora e, consequentemente, aumentam os riscos de deslizamentos de encostas. Os moradores foram orientados por agentes comunitários e representantes da Defesa Civil a buscar abrigo em pontos de apoio.

A região da Tijuca foi uma das que mais sofreram com a chuva. Em apenas uma hora, entre as 19h45min e as 20h45min, choveu 86,2 mm, mais de 70% do esperado para todo o mês de março.

O município entrou em estágio de alerta, o terceiro nível mais grave em uma escala de quatro, às 20h05min, nas bacias da Baía de Guanabara, que compreende os bairros do Centro, da Zona Norte e Ilha do Governador, da Zona Sul e de Jacarepaguá, que engloba os bairros da Barra da Tijuca, do Recreio dos Bandeirantes e de Jacarepaguá. A Defesa Civil retornou ao estágio de vigilância (o primeiro nível) ainda de madrugada.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.