Investigação

Sinais exteriores de riqueza colocaram servidor do DEP sob investigação

Funcionário do Departamento de Esgotos Pluviais teria ligação com empresário do ramo da contrução civil que presta serviços para o município

Atualizada em 30/01/2014 | 15h2730/01/2014 | 13h32
Sinais exteriores de riqueza colocaram servidor do DEP sob investigação Receita Federal/Divulgação/Receita Federal/Divulgação
Casa construída por servidor do DEP estava desocupada Foto: Receita Federal/Divulgação / Receita Federal/Divulgação

A investigação da Operação Casa Branca, desencadeada pela Receita Federal e pelo Ministério Público Estadual nesta quinta-feira, começou a partir de suspeitas de sinais exteriores de riqueza e de patrimônio não declarado por parte de um servidor público municipal.

Engenheiro, ele é servidor do quadro do Departamento de Esgotos Pluviais (DEP) de Porto Alegre.

A partir das suspeitas de enriquecimento ilícito, foram identificados indícios de corrupção, sonegação e lavagem de dinheiro, conforme a Receita Federal. Um empresário da área da construção civil também é investigado.

Leia mais:

> Operação apura suspeitas de corrupção envolvendo funcionário do DEP

As buscas ocorreram na manhã desta quinta-feira nas casas do servidor público e do empresário e em três empresas que prestaram serviços para a prefeitura de Porto Alegre ou teriam sido usadas para lavagem de dinheiro.

O nome da operação foi inspirado em uma casa construída pelo engenheiro em um condomínio na zona sul de Porto Alegre.

Zero Hora fez contato com o DEP, mas ainda não obteve retorno.

 

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.