Aumenta a tensão

EUA monitoram exercícios de guerra russos na fronteira com a Ucrânia

Secretário de Estado John Kerry adverte russos para que sejam "muito cuidadosos"

27/02/2014 | 10h38
EUA monitoram exercícios de guerra russos na fronteira com a Ucrânia OLEKSANDR POLEHENKO/AFP
Policiais montam guarda diante do parlamento em Simferopol, na república autônoma ucraniana da Crimeia Foto: OLEKSANDR POLEHENKO / AFP

Os Estados Unidos estão monitorando atentamente a movimentação de tropas russas na fronteira com a Ucrânia. A afirmação, de um comandante americano, foi citada pela agência Reuters poucas horas depois de o secretário de Estado John Kerry advertir a Rússia para ser "muito cuidadosa" nos exercícios de guerra iniciados ontem na fronteira com a Ucrânia.

Homens armados cercaram a sede do governo regional e do parlamento na república autônoma ucraniana da Crimeia nesta quinta-feira e hastearam a bandeira russa, em mais um episódio da escalada de tensão entre Ucrânia e Rússia iniciada em novembro do ano passado.

>> Vídeo da emissora russa RT mostra manifestantes pró-russos e pró-ucranianos se enfrentando em manifestações na Crimeia:

 

A península da Crimeia, no Mar Negro, é estratégica no Leste europeu. Sob domínio turco otomano até o século 18, foi ocupada pela imperatriz russa Catarina, a Grande em 1783. A Crimeia foi palco do primeiro conflito internacional europeu depois do fim das guerras napoleônicas, em 1854, entre o império russo, de um lado, e o turco e o britânico, de outro. Nos anos 1950, o ditador Nikita Kruschev, de nacionalidade ucraniana, cedeu a Crimeia à Ucrânia, então república soviética.

Com a independência ucraniana e, logo depois, o fim da União Soviética, na última década do século passado, a Crimeia tornou-se república autônoma sob o guarda-chuva da Ucrânia. A maioria da população da península é de origem russa e fé cristã ortodoxa, enquanto uma minoria (12%) é constituída de tártaros, etnia turca de credo islâmico. A Crimeia é a única região da Ucrânia com maioria russa.

Na Crimeia, a cidade portuária de Sebastopol, onde está estacionada a frota russa do Mar Negro, foi arrendada por 25 anos à Rússia.

O parlamento ucraniano designou nesta quinta-feira por unanimidade o pró-europeu Arseni Yatseniuk como primeiro-ministro do governo de transição. Yatseniuk dirigirá o governo de união nacional que tomará as rédeas do país antes das eleições presidenciais antecipadas previstas em 25 de maio.

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.