Dias de violência

Após ataques a UPPs, governo do Rio deve pedir apoio federal para reforçar segurança na capital

Governador e secretário de segurança viajaram a Brasília para se reunir com Dilma Rousseff

21/03/2014 | 10h02
Após ataques a UPPs, governo do Rio deve pedir apoio federal para reforçar segurança na capital ALE SILVA/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
Sede da UPP de Manguinhos foi incendiada e postes caíram durante confronto Foto: ALE SILVA / FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O governador Sérgio Cabral (PMDB) e o secretário de Estado de Segurança, José Mariano Beltrame, embarcaram na manhã desta sexta-feira para Brasília. Eles se reúnem às 11h com a presidente Dilma Rousseff para pedir o envio de tropas federais para apoiar a segurança na capital.

Beltrame e Cabral estiveram reunidos até o início da madrugada no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC), na Cidade Nova, depois que quatro Unidades de Polícia Pacificadora sofreram ataques simultâneos.

O chefe de Polícia Civil, delegado Fernando Veloso, e o comandante-geral da PM, coronel Luiz Castro Menezes, participaram do encontro. Cabral, no entanto, não esclareceu se pedirá o apoio das Forças Armadas ou da Força Nacional de Segurança.

— Isso (o ataque às UPPs) foi mais uma prova que o tráfico está enfraquecido e tenta enfraquecer a política de pacificação. Nesse momento, não temos o menor constrangimento para solicitar o apoio de Forças Federais. Só não posso adiantar como será esse pedido — afirmou o governador, depois da reunião.

O policiamento nas favelas de Manguinhos, Parque Arará (Benfica), Camarista Méier e Complexo do Alemão, todas na zona norte, segue reforçado. Pela manhã, um helicóptero da Polícia Militar sobrevoou Manguinhos, onde a sede da UPP foi incendiada e o comandante da unidade, o capitão Gabriel de Toledo, foi baleado. Atingido na virilha, ele foi operado no Hospital Geral da Polícia Militar e seu estado de saúde é estável.

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.