Do lado de fora

Com R$ 320 mil em maleta, empresário é barrado por duas horas na porta giratória de banco em Porto Alegre

Cliente tinha quantia para pagar compra de imóvel em leilão

26/03/2014 | 17h13

Um empresário de 53 anos foi impedido de entrar em uma agência do Banco do Brasil da zona norte de Porto Alegre depois de ser barrado na porta giratória. O homem carregava R$ 320 mil em cédulas dentro de uma maleta e permaneceu em frente ao local das 12h05min até as 14h desta quarta-feira.
 
O empresário, que pediu para não ser identificado, afirma que o valor precisa ser depositado nesta quarta em função do pagamento de um imóvel adquirido em leilão. O homem garante que tinha uma guia judicial que possibilitaria o acesso ao banco. Porém, os vigias do local teriam se negado a examinar a mala e a gerente teria mantido a decisão.
 
Por volta das 13h, a gerente da agência ofereceu um malote para o cliente colocar o dinheiro e entrar no local, mas ele recusou:

– E vou ficar mexendo com dinheiro na rua? Um valor desses? A gerente disse que o dinheiro não entra sem estar em um malote. Vou a todos os bancos com a bagagem e nunca tive problemas. Tenho 53 anos e nunca enfrentei isso na vida – desabafou.
 
O empresário conseguiu entrar na agência as 14h na presença de seu advogado e de um policial militar, que foi acionado pelo Banco do Brasil.

A assessoria de imprensa do Banco do Brasil explica que é procedimento padrão as pessoas não ingressarem em agências bancárias ao serem barradas nas portas giratórias, e que os vigilantes não têm direito de revistar bagagens:

– Não importa se a pessoa tem R$ 3 ou R$ 300 mil. Se a porta trancar, ela não pode entrar. Esta medida é para a segurança dos clientes e dos empregados do banco.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.