Troca de farpas

Em nota, PP rebate críticas do senador Pedro Simon

No sábado, peemedebista associou a senadora progressista Ana Amélia ao regime militar

16/03/2014 | 17h49

Injusto, decepcionante e lamentável foram algumas das palavras usadas pelo presidente do PP-RS, Celso Bernardi, em nota divulgada neste domingo, para classificar o gesto do senador Pedro Simon (PMDB), que, no sábado, atacou a senadora Ana Amélia Lemos (PP).

Durante a pré-convenção do PMDB, Simon associou a parlamentar progressista ao regime militar e ironizou as chances do PP na disputa pelo Palácio Piratini.

No texto, Bernardi afirma que a atitude do peemedebista "apequena a política gaúcha" e que, para Simon, o "PP gaúcho só é bom quando lhe serve e lhe dá votos".

Leia também
>>>
Simon critica imprensa e associa Ana Amélia ao regime militar

"O senador, até para justificar suas três décadas de mandato, tem o direito de falar do passado, desde que não seja oportunista e ingrato, desconhecendo a verdade e os fatos, como por exemplo, que em 1998 ele foi o candidato oficial apoiado pelo PP e, portanto, eleito senador também com os votos dos progressistas. Esquece, também, que o Partido Progressista apoiou, no segundo turno, os candidatos a governador do seu PMDB, ajudando a elegê-los em duas eleições (1994/2002). Ao que se sabe o senador Simon, tão crítico hoje, não fez nenhuma objeção ao apoio e nem recusou os votos que recebeu dos progressistas", diz um trecho.

A nota ainda faz menção à parceria de PP e PMDB, coligados no Rio Grande do Sul em mais de cem municípios, e frisa que, independentemente do episódio, o PP reafirma o "compromisso de diálogo com o PMDB e de um protagonismo respeitoso nas eleições de 2014".

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.