Lava Jato

Investigados em Porto Alegre teriam recebido valores de doleiro paranaense

Alberto Youssef é o principal suspeito de lavagem de dinheiro na Operação Lava Jato, deflagrada na manhã desta segunda-feira em seis Estados e no Distrito Federal

Atualizada em 17/03/2014 | 16h0417/03/2014 | 12h20

Os dois investigados da Operação Lava Jato em Porto Alegre, o engenheiro Eduardo Antonini e o jornalista Marcos Martinelli, teriam recebido valores de um dos principais suspeitos de lavagem de dinheiro, o doleiro paranaense Alberto Youssef, que foi preso em São Luis do Maranhão.

Youssef já foi investigado pela Polícia Federal e, inclusive, já fez acordo de delação premiada. Conforme a apuração federal, Youssef teria remetido dinheiro com suposta origem ilícita para Antonini e Martinelli.

Durante as buscas da Operação Lava Jato, agentes federais apreenderam grande quantidade de dinheiro em endereços de Youssef em São Paulo. Dois hotéis de propriedade dele, em Londrina e em Porto Seguro, foram sequestrados por ordem judicial.

A Lava Jato investiga supostas organizações criminosas suspeitas de lavagem de dinheiro. O grupo investigado, além de envolver alguns dos principais personagens do mercado clandestino de câmbio no Brasil, é responsável pela movimentação financeira e lavagem de ativos de diversas pessoas físicas e jurídicas envolvidas com crimes como o tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas, desvios de recursos públicos, dentre outros.

Quem é Eduardo Antonini

Porto-alegrense, Eduardo Kenzi Antonini é engenheiro elétrico formado na UFRGS, mestre em gestão empresarial com ênfase em sistemas de informação, e um dos mentores da construção da Arena do Grêmio. Antes de se destacar como dirigente do clube da Capital, Antonini foi diretor da Secretaria de Informática do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) entre 1997 e 2010. Ingressou em 1990 no órgão.

Membro do Conselho Deliberativo do Grêmio, ele foi, também, vice-presidente de Planejamento do clube, entre 2005 e 2008, e presidente da Grêmio Empreendimentos, de 2011 a 2013. Durante o governo Yeda Crusius (PSDB), foi secretário extraordinário da Copa do Mundo do Estado, entre junho e dezembro de 2010. Em 2012, recebeu o título de Cidadão Emérito de Porto Alegre. No final de 2013, passou a atuar como consultor do Juventude, de Caxias do Sul. Está em licença não remunerada para assuntos particulares do TRT desde dezembro de 2012.

Quem é Marcos Martinelli

Jornalista, bacharel em Direito e consultor de marketing político, especializou-se em campanhas eleitorais no Brasil e em Portugal. Entre elas, estão as campanhas de Lindbergh Farias (PT), eleito prefeito de Nova Iguaçu em 2004, de José de Anchieta Júnior (PSDB), escolhido governador de Roraima em 2010, e de José Fortunati (PDT), vencedor da disputa à prefeitura de Porto Alegre, em 2012.

Ao longo de sua carreira, também foi secretário de Comunicação do prefeito de Canoas, Jairo Jorge (PT).

Como jornalista, passou por todas as emissoras de televisão de Porto Alegre (Pampa, RBS TV, TVE, SBT, Bandeirantes e Record) e também de fora do Estado (TV Cultura, SBT, TV Globo e TV Record), em São Paulo.

* Colaboraram Juliana Bublitz e Pedro Moreira

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.