Operação Lava Jato

Lavanderias e postos de combustíveis eram usados para lavar dinheiro, diz PF

Organizações criminosas investigadas pela Polícia Federal teriam lavado mais de R$ 10 bilhões

17/03/2014 | 12h51

Correção: Das 10h06min às 11h, este site informou equivocadamente que duas pessoas haviam sido presas em Porto Alegre. Na verdade, a PF cumpriu mandados de busca e apreensão na Capital. O texto foi corrigido.

A Polícia Federal (PF) iniciou uma operação nesta segunda-feira (17), chamada de Lava Jato, para desarticular organizações criminosas que atuam na lavagem de dinheiro. Os grupos investigados movimentaram, segundo a PF, mais de R$ 10 bilhões. Os criminosos teriam utilizado lavanderias e postos de combustíveis para cometer o crime.

Engenheiro e jornalista do RS são alvos de operação da PF

Pelo menos 28 pessoas foram detidas. Dois mandados de busca e apreensão foram cumpridos na Capital. Os suspeitos foram procurados no Paraná, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Mato grosso e em São Paulo e Santa Catarina.

Os investigados atuam no mercado clandestino de câmbio no Brasil e são envolvidos, de acordo com a PF, com crimes como o tráfico internacional de drogas, corrupção de agentes públicos, sonegação fiscal, evasão de divisas, extração, contrabando de pedras preciosas e desvios de recursos públicos.

A operação conta com a participação de 400 policiais federais, que deram cumprimento a 81 mandados de busca e apreensão, 18 mandados de prisão preventiva e 10 mandados de prisão temporária. Foram cumpridas também ordens de sequestro de imóveis de alto padrão e apreensão de patrimônio adquirido por meio de práticas criminosas.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.