48 horas

Médicos de hospitais municipais e pronto-atendimentos de Porto Alegre farão paralisação na semana que vem

Em assembleia na noite desta quarta-feira, foi aprovado o ato nos dias 26 e 27 de março

19/03/2014 | 23h16

Médicos que trabalham nos hospitais de Pronto Socorro (HPS) e Materno Infantil Presidente Vargas, além dos que atuam nos pronto-atendimentos Cruzeiro do Sul, Bom Jesus e Lomba do Pinheiro decidiram aderir à paralisação de 48 horas proposta pelo Sindicato dos Municipários de Porto Alegre.

A decisão foi tomada em assembleia na noite desta quarta-feira. As informações foram divulgadas pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers).

A mobilização deve ter início às 8h da próxima quarta-feira, com previsão de término na sexta-feira seguinte, no mesmo horário. Conforme o Simers, a tendência é que a paralisação atinja também os trabalhadores dos postos de saúde.

Conforme nota do sindicato, o ato é uma reação à falta de proposta da prefeitura da Capital às reivindicações dos municipários da Saúde.

— A prefeitura não negocia com os servidores e, cada vez mais, piora as condições de trabalho. A saída é mobilização para forçar a negociação — diz Jorge Eltz de Souza, diretor do Simers e médico do Pronto-Atendimento Cruzeiro do Sul.

Segundo ele, os médicos tentam negociar com a prefeitura desde 2012, mas nenhum dos 14 pontos da pauta específica teriam sido atendidos. Os municipários da saúde reivindicam insalubridade grau máximo para todos os trabalhadores da saúde, solução para o corte do repouso remunerado, convocação dos aprovados nos concursos públicos vigentes e abertura de novos para suprir o déficit de pessoal nas unidades, além de melhores condições de trabalho.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.