Motoristas de ônibus serão indiciados por homicídio culposo em mortes de ciclistas na Capital

Segundo a Polícia Civil, condutores foram imprudentes nas mortes de Patrícia Silva de Figueiredo, 21 anos, e Daise Duarte Lopes, 19 anos

24/03/2014 | 16h17
Motoristas de ônibus serão indiciados por homicídio culposo em mortes de ciclistas na Capital Tadeu Vilani/Agencia RBS
De acordo com a polícia, uma das vítimas foi atingida em cima de uma faixa de segurança no corredor de ônibus da Avenida Erico Verissimo, próximo ao Ginásio Tesourinha Foto: Tadeu Vilani / Agencia RBS

Após ouvir os motoristas de ônibus envolvidos nas mortes das ciclistas Patrícia Silva de Figueiredo, 21 anos, e Daise Duarte Lopes, 19 anos, na última quinta-feira (20), a Polícia Civil irá indiciá-los por homicídio culposo (sem intenção de matar). Conforme o delegado Cristiano Reschke, da Delegacia de Homicídios de Trânsito (DHT), não há elementos que configurem dolo eventual (quando se assume o risco de matar). As jovens foram atingidas em diferentes locais de Porto Alegre num intervalo de oito horas.

Leia mais:
Centenas protestam contra as mortes de duas ciclistas em Porto Alegre
Morte de jovens mostra a vulnerabilidade dos ciclistas nas ruas da Capital
Grupo organiza protesto no local onde ciclista morreu atropelada por ônibus

– A culpa pode vir por negligência e descuido no trânsito. O levantamento preliminar aponta imprudência. Eles alegaram que não viram as meninas e foram pegos de surpresa. Para dolo eventual, teriam de ter fugido do local e assumido uma série de atitudes, mas não foi o que ocorreu. Eles prestaram socorro – afirma Reschke.

De acordo com a polícia, Patrícia foi atingida em cima de uma faixa de segurança no corredor de ônibus da Avenida Erico Verissimo, próximo ao Ginásio Tesourinha. Não havia sinaleira no local. A perícia analisará se ela estava empurrando a bicicleta ou se cruzava o corredor em cima do veículo e se houve excesso de velocidade do coletivo.

Segundo o artigo 70 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), "os pedestres que estiverem atravessando a via sobre as faixas delimitadas para esse fim terão prioridade de passagem, exceto nos locais com sinalização semafórica, onde deverão ser respeitadas as disposições deste Código".

O mesmo CTB define ainda, no artigo 68, que "o ciclista desmontado empurrando a bicicleta equipara-se ao pedestre em direitos e deveres".

VÍDEO: perícia analisa acidente na avenida Erico Verissimo

– Só o fato de o acidente ter ocorrido em cima da faixa de segurança ou no sinal vermelho, por exemplo, não determina dolo. Temos que ter cuidado para não banalizar isso. É preciso apurar todas as circunstâncias e aguardar o laudo pericial – complementa o delegado.

Ele já ouviu os policiais militares que atenderam a ocorrência e receberá quatro testemunhas, ao longo da semana, para colher novos depoimentos. As mortes das jovens mobilizaram os ciclistas na última sexta-feira, que fizeram um protesto cobrando mais segurança no trânsito da Capital.

Quem são as vítimas

Patrícia Silva de Figueiredo, 21 anos, cursava pedagogia na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) e estaria indo para a aula de bicicleta quando foi atropelada pelo coletivo. Segundo relatos de testemunhas à Polícia Civil, a jovem estaria sem capacete.

Daise Duarte Lopes, 19 anos, era estudante de Psicologia da UFRGS e morava nas proximidades do local, no bairro Mario Quintana, na Zona Norte. Testemunhas disseram à Brigada Militar que ela estava atravessando a rua pedalando a bicicleta quando foi atropelada pelo ônibus.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.