Sociedade colaborativa

Projeto incentiva pessoas a deixarem trocado em paradas de ônibus para desconhecidos

A iniciativa ocorre em Pelotas, mas deve chegar na semana que vem a Rio Grande e Caxias do Sul

04/03/2014 | 17h27
Projeto incentiva pessoas a deixarem trocado em paradas de ônibus para desconhecidos Jerônimo Gonzalez/Especial
Iniciativa foi criada por agência de publicidade Foto: Jerônimo Gonzalez / Especial

Homens e mulheres que passam por sete paradas de ônibus e três coletivos em Pelotas reagem iguais a um cartaz: “Nunca vai dar certo”, repetem ao convite colado, pedindo que as moedas que sobram sejam depositadas ali para que outros que precisem do dinheirinho possam usar na próxima viagem. Apesar do ceticismo, no ponto da rua Floriano Peixoto, mesmo depois de um mês, pendiam quatro moedas de cinco centavos.

É o “troco coletivo”, projeto que busca criar cooperação entre a população. O povo responde desconfiado, acha que o mendigo ou o bêbado que vão se aproveitar.

— Teve um cara de pau que usou pra vir comprar chiclete aqui, acredita? Não adianta, quando se trata de dinheiro, eles viram egoístas e gananciosos — lamenta a dona de uma lancheria na frente da parada, Kátia Bilati.

Logo depois, uma mulher contribui com dez centavos e é repreendida pelo companheiro.

— Ah, sei lá — responde ela.

É nesse “sei lá” que se agarra Ramon Brod Ballverdú, o publicitário da agência Mark +, responsável pelo projeto com patrocínio da Unicred Integração:

— Achamos que é possível confiar no outro, fazer com que se acredite no próximo. E o “troco coletivo” está aí para demonstrar isso.

A idéia, que surgiu depois de Ballverdú ter uma mesa abarrotada de moedas que nem usava, já repercutiu em Portugal e nos Estados Unidos, onde pessoas entraram em contato com o grupo para reproduzir o projeto nos países estrangeiros. Por enquanto, aqui no Brasil existe apenas em Pelotas, mas semana que vem chega a Caxias do Sul e Rio Grande. Até março, eles pretendem monitorar os cartazes e fazer eventuais reparos. Depois, fica a cargo de cada cidade decidir o quão e por quanto tempo quer continuar mais solidária.

Como funciona?

— Nas paradas de ônibus ou nos coletivos, é colado um cartaz comprido com pequenos bolsinhos para colocar moedas.

— Em cima do papel, está o frase: “Precisa de troco? Fique a vontade para pegar o necessário”.

— Embaixo, o convite: “Sobrou troco? Ajude alguém depositando moedas de qualquer valor.

— A idéia é usar o dinheiro para o transporte coletivo.

Onde acontece o projeto?

— Em Pelotas

— A partir da semana que vem, em Caxias do Sul e Rio Grande

— Há contatos para reproduzir a idéia em Portugal e Estados Unidos

Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.