Sanções à vista

Ultimato da Rússia à Ucrânia seria "escalada perigosa", dizem EUA

Porta-voz indicou que os Estados Unidos estudam "um amplo leque de opções" de sanções que poderiam ser impostas à Rússia a menos que diminua a tensão na Ucrânia

03/03/2014 | 18h38

Os Estados Unidos advertiram nesta segunda-feira que um ultimato da Rússia à Ucrânia sobre a Crimeia representaria uma "escalada perigosa" dentro da crise internacional, e estudam impor sanções a Moscou.

Segundo uma declaração de um alto funcionário ucraniano da Defesa, as forças russas lançaram um ultimato aos militares ucranianos na Crimeia para que se rendam. Caso contrário, serão atacados.

Consultada sobre o assunto, a porta-voz do Departamento de Estado americano, Jennifer Psaki, indicou que esta "seria uma escalada perigosa da situação".

A porta-voz indicou que os Estados Unidos estudam "um amplo leque de opções" de sanções que poderiam ser impostas à Rússia a menos que diminua a tensão na Ucrânia.

"Este é um passo para o qual estamos muito preparados", assinalou Jennifer, acrescentando que o governo já estuda sanções a indivíduos e instituições russas.

O secretário de Estado americano, John Kerry, viaja hoje a Kiev, em um forte sinal de apoio ao governo interino ucraniano, que assumiu após a saída do presidente Viktor Yanukovich.

"Falará, certamente, sobre as necessidades econômicas e políticas da Ucrânia, para ver que ajuda adicional poderá ser facilitada e enviar uma forte mensagem de que apoiamos o povo ucraniano", afirmou Jennifer em conferência telefônica.

 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.