Operação Canudos

Duas irmãs são suspeitas de chefiar esquema que fraudou R$ 3 milhões do seguro-desemprego

Mulheres eram proprietárias de escritórios de contabilidade investigados pela Polícia Federal em Novo Hamburgo

01/04/2014 | 13h47

Duas irmãs são suspeitas de comandar um esquema que causou prejuízo de aproximadamente R$ 3 milhões aos cofres públicos. Elas eram proprietárias de dois escritórios de contabilidade em Novo Hamburgo, no Vale do Sinos, alvos da Polícia Federal na manhã de hoje durante a Operação Canudos, que investiga fraude no pagamento de seguro-desemprego a mais de 600 pessoas.

Segundo o delegado responsável pela investigação, Cristiano Gobbo, as duas eram as “cabeças” do esquema e uma delas já teve passagem pela polícia por crime de estelionato. Além das duas empresárias, outras quatro pessoas foram presas, duas contadoras e dois funcionários dos escritórios.

Os investigados irão responder por organização criminosa e estelionato em detrimento de entidade de direito público ou de instituto de economia popular, assistência social ou beneficência.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.