Disputa agrária

Ministro da Justiça critica "radicalismo" entre agricultores e indígenas no RS

José Eduardo Cardozo garante que o governo federal age em busca da conciliação, mas que falta disposição para o diálogo

30/04/2014 - 13h18min
Ministro da Justiça critica "radicalismo" entre agricultores e indígenas no RS Carlos Macedo/Agencia RBS
Dois agricultores foram mortos em suposto confronto com indígenas Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS  
O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, criticou o “radicalismo imenso” e a falta de disposição para o diálogo entre agricultores e indígenas no Rio Grande do Sul. Ele lamentou as duas mortes ocorridas em Faxinalzinho, no norte gaúcho, e refutou as críticas de omissão do governo federal na mediação do conflito por terras, que se arrasta há anos no Estado.

— Existe um radicalismo imenso nesse processo. A posição do Ministério da Justiça não é de omissão, ela é de ação, na busca pela conciliação, pela paz. Agora, tem lideranças políticas que por razões eleitorais ou por outros motivos não querem dialogar — disse Cardozo na manhã desta quarta-feira, em Brasília.

Leia mais:
> Dois agricultores são mortos em suposto confronto com indígenas no Norte
> Polícias tentam esclarecer como ocorreu o conflito entre índios e agricultores em Faxinalzinho
> Área de disputa agrária em Faxinalzinho foi classificada como "sujeita a conflitos" há um ano pelo Cimi

Segundo o ministro, os indígenas pedem, com legitimidade, que o governo assine as portarias de demarcação, enquanto os agricultores prometem resistir. Cardozo garantiu que a questão esteve perto de ser resolvida, com os indígenas aceitando dialogar. Contudo, os agricultores teriam se negado a conversar.

— Lideranças políticas disseram que preferem que a Justiça dê a palavra final, o que significa postergar a discussão por décadas — destacou Cardozo.

O ministro reconhece que o Rio Grande do Sul é um dos locais do Brasil onde a situação é mais tensa, com dificuldade de colocar os dois lados do conflito na mesa de negociação. Cardozo iria ao Estado nesta semana, porém, as mortes em Faxinalzinho adiaram a viagem, que ainda não teve nova data confirmada.
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.