Invento gaúcho

"Não podemos abrir exceção", justifica coordenador de trânsito de Lajeado sobre multa a criador de carro elétrico

Criador do veículo foi multado em R$ 85,13 por ter cometido infração média nesta terça-feira

02/04/2014 | 12h29
"Não podemos abrir exceção", justifica coordenador de trânsito de Lajeado sobre multa a criador de carro elétrico Guilherme Giannoulakis/Divulgação
Motorista se recusou a assinar a multa Foto: Guilherme Giannoulakis / Divulgação

Com grande repercussão nas redes sociais, a multa ao criador do carro elétrico em Lajeado, no Vale do Taquari, foi justificada pela prefeitura nesta quarta-feira. De acordo com o coordenador do Departamento de Trânsito do município, Euclides Rodrigues, o motorista João Alfredo Dresch infringiu o Código Brasileiro de Trânsito, que proíbe estacionar "em desacordo com as posições estabelecidas".

> Conheça o carro elétrico inventado em Lajeado

Na tarde desta terça-feira, o aposentado de 68 anos foi multado em R$ 85,13 por deixar o veículo de frente para rua em uma vaga paralela na principal rua do Centro de Lajeado, a Júlio de Castilho. A infração é considerada média.

— Ele já havia sido alertado outras vezes por estacionar dessa forma. Como voltou a repetir, os fiscais tiveram que multá-lo. Temos que respeitar a legislação e não podemos abrir exceção — afirma Rodrigues.

Depois de alertado, inventor estacionou conforme a orientação dos agentes
Foto: Guilherme Giannoulakis, Divulgação


O coordenador reforça que a jusitificava do motorista de que queria deixar mais espaço no estacionamento não é válida, pois por mais que o carro elétrico seja pequeno e ocupe quase o tamanho de moto, não caberia outro veículo no local sem que fossem ocupadas duas vagas.

— Temos orgulho de que essa inveção seja de Lajeado e, particularmente, acho brilhante. Se ele queria mostrar o quão pequeno é o carro, poderia nos pedir que providenciaríamos cones para fazer uma apresentação. Mas no dia-a-dia, enquanto não existe uma legislação específica para isso, ele precisa respeitar as regras — conclui Euclides.

O inventor afirma que vai procurar o Detran para saber se estava errado ou não. Caso realmente tenha cometido uma infração, relata que pagará a multa.

– Fui na farmácia e quando voltei os azuizinhos (fiscais da prefeitura) estavam lá, assinando o papel. Me recusei a assinar a multa e aleguei que o carro nem chegava até a faixa branca – conta Dresch.


Conheça o carro elétrico

Tamanho:
1,20 metro de altura, 1,05 metro de largura e 1,95 metro de comprimento
Peso: 295 quilos
Capacidade: duas pessoas
Motor: elétrico, tem rolamento especial de 5 CV Velocidade máxima: 70km/h
Equipamentos: cinto de segurança, freio a disco nas quatro rodas, extintor de incêndio, freio de mão, estepe e carregador de bateria para tomadas convencionais 110 V ou 220 V
Bateria: 14 baterias de gel, com vida útil de até cinco anos
Autonomia: após duas horas carregando, o carro anda por duas horas
Especificidades: não é automático e não tem marcha, tem apenas freio e acelerador. A ré é acionada por um botão que inverte a polaridade do motor
Custo de rodagem:
cerca de R$ 0,10 por quilômetro (valor gasto com energia elétrica) Valor de venda: estimado entre R$ 15 mil e R$ 18 mil

VEJA TAMBÉM

     
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.