Cidade à flor da pele

Três Passos está de luto e indignada pela morte de Bernardo Boldrini

Movimentação é intensa no ginásio do Colégio Ipiranga, onde ocorre o velório

Por: Carlos Wagner, de Três Passos
15/04/2014 - 13h42min
Três Passos está de luto e indignada pela morte de Bernardo Boldrini Carlos Macedo/Agencia RBS
Homenagens ocorrem em ginásio da escola onde Bernardo estudava Foto: Carlos Macedo / Agencia RBS

A decoração de Páscoa em residências e no comércio de Três Passos, no noroeste gaúcho, contrasta com o laço preto e a foto em sinal de luto pela morte de Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, conhecido como Bê. A cidade pode ser comparada a um indivíduo com os nervos à flor da pele — a emoção causada pelo crime leva a comunidade ao velório, no ginásio do Colégio Ipiranga, de onde as pessoas saem perturbadas.

Leia mais:
Delegada: "não tenho dúvidas do envolvimento do pai e da madrasta"
Polícia investiga se menino foi morto com uso de injeção letal
Menino que estava desaparecido há 10 dias é encontrado morto
Polícia não vê ligação com a morte de garota de Três Passos
Humberto Trezzi: "crime ancestral e bíblico"

Os parentes do menino evitam dar entrevistas, alegando estarem muito abalados com o caso. O advogado da família, Marlon Adriano Taborda, definiu a situação como "uma das maiores tragédias da região". Taborda disse, ainda, que nos próximos dias serão apresentadas novidades a respeito da morte da mãe do menino — Odilaine Uglione teria cometido suicídio no consultório de Leandro Boldrini, pai de Bernardo.

A psicóloga da escola onde o menino cursava o 6º ano, Denise Helena Escher, conta que o suicídio de Odilaine foi dois meses antes do início do ano letivo de 2010. Ao longo desses quatro anos, Bernardo não comentou o fato. Quando falava sobre família, definia a madrasta como "uma chata".

Segurança reforçada na cidade

A Brigada Militar reforçou a segurança no município, pois, na noite de segunda-feira, ocorreu um protesto intenso. Além do Pelotão de Operações Especiais (POE) de Três Passos, há equipes de Frederico Westphalen e Santa Rosa.

— Estamos postados na cidade de maneira discreta porque constatamos que as pessoas estão muito indignadas, e a nossa missão é fazer com que tudo aconteça na paz — afirma o capitão Paulo Roberto Nascimento, do 7º Batalhão de Polícia Militar (BPM) de Três Passos.

Entre o fim da manhã e o início da tarde desta terça-feira, a circulação de pessoas era grande no local do velório. Ainda durante a tarde, o corpo deve seguir para Santa Maria, onde ocorrerá o sepultamento. Por volta das 13h30min, policiais civis levaram rosas brancas para homenagear Bernardo.

O caso que abalou Três Passos

Bernardo Uglione Boldrini, 11 anos, desapareceu no último dia 4, uma sexta-feira, em Três Passos. De acordo com o pai, ele teria ido à tarde a Frederico Westphalen com a madrasta para comprar uma TV.

De volta a Três Passos, o menino teria dito que passaria o final de semana na casa de um amigo. Como no domingo ele não retornou, o pai acionou a polícia. Cartazes com fotos de Bernardo foram espalhados pela cidade, por Santa Maria e Passo Fundo.

Na noite de segunda-feira, o corpo do menino foi encontrado no interior de Frederico Westphalen dentro de um saco plástico e enterrado nas margens do Rio Mico, na localidade de Linha São Francisco, interior do município.

Leandro Boldrini é médico e atua como cirurgião-geral no hospital do município. Ele também é proprietário da Clínica Cirúrgica Boldrini. Bernardo morava com o pai, a madrasta e uma meia-irmã, de um ano. Ele estudava no turno da manhã no Colégio Ipiranga, instituição particular.

Corpo do menino foi encontrado a 80 quilômetros de Três Passos:

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.