Atenção redobrada

Defesa Civil do RS monitora 29 municípios devido à chuva

Conforme informações do órgão estadual, há 647 pessoas desalojadas

Atualizada em 26/06/2014 | 21h0926/06/2014 | 10h20
Defesa Civil do RS monitora 29 municípios devido à chuva Prefeitura de Cruzaltense/Divulgação
Cruzaltense é um dos municípios inspecionados pela Defesa Civil devido à chuva Foto: Prefeitura de Cruzaltense / Divulgação

A chuva que atinge o Rio Grande do Sul desde o início da semana e que deve permanecer nos próximos dias faz com que a Defesa Civil estadual redobre a atenção em 29 municípios: Cruzaltense, Barão do Cotegipe, Getulio Vargas, Erechim, Erval Grande, Marcelino Ramos, Barra do Rio Azul, Maximiliano de Almeida, Ponte Preta, Nonoai, Viadutos, Caiçara, Campo Novo, Tenente Portela, Jaboticaba, Palmitinho, Pinheirinho do Vale, Cristal do Sul, Cerro Grande, Irai, Novo Tiradentes, Alpestre, Barra do Guarita, Vicente Dutra, Nova Candelária, Três de Maio, Novo Machado, Porto Mauá, Unistalda.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

As coordenadorias regionais realizam levantamentos em cidades do Norte e do Noroeste para se ter a dimensão de estragos. Na manhã desta quinta-feira, havia registro de 647 desalojados, ou seja, que deixaram suas residências e foram para casas de outras pessoas. Outras 170 estão desabrigadas, isto é, não tem para onde ir.

De acordo com o sargento Luiz da Luz, há dois dias, já haviam sido feitos comunicados para a possibilidade de alta dos rios, principalmente na região do Rio Uruguai. Luz ressalta, no entanto, que os municípios não estão em estado de alerta. O primeiro atendimento às famílias prejudicadas é feito pelos próprios municípios.

Porto Mauá

Conforme a prefeitura de Porto Mauá, a travessia de balsa foi suspensa — às 10h, o Rio Uruguai estava com mais de 11 metros acima do nível normal, segundo informações da assessoria de imprensa do Executivo.

Cruzaltense

A 40 quilômetros de Erechim, Cruzaltense é outro município que, atingido pela chuva, está sob inspeção da Defesa Civil do Estado. Além de quatro casas terem sido inundadas na Avenida Brasil Leste, seis famílias ribeirinhas foram removidas para o ginásio da cidade.

— A água estava quase levando as casas embora — relata o secretário de Coordenação e Planejamento, Lenito Santolin.

A ponte sobre o rio Erechim, que faz a ligação entre Cruzaltense e as cidades de Campinas do Sul e Ponte Preta, está submersa. Outro transtorno ocasionado pela enxurrada foi a suspensão das aulas em todas as escolas do município. Há, ainda, registro de perdas nas plantações de trigo.

Caiçara

Em Caiçara, uma das cidades mais atingidas, famílias tiveram de deixar suas casas em barcos.

— Além das residências, a chuva também afetou estabelecimentos comerciais. Tivemos de retirar mercadorias de três mercados e mais uma agropecuária. Um posto de gasolina também ficou alagado — disse à Rádio Gaúcha o prefeito Zilio Roggia.

Erechim

O Corpo de Bombeiros de Erechim, além de atender aos chamados da cidade, auxilia no monitoramento de outros municípios da região, como Ponte Preta e Barão do Cotegipe. Em Erechim, há diversos pontos de alagamento em ruas e casas. A corporação também está em alerta para o risco de deslizamento de morros e interrupções de rodovias.

Em Porto Mauá, travessia de balsa foi suspensa
Foto: Vilson Winkler / Divulgação

As medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) apontam que chegou a chover, em três dias, mais do que a média mensal em diferentes cidades, como Santo Augusto, Santa Rosa, Ibirubá, Palmeira das Missões e Frederico Westphalen.

Previsão é que chuva permaneça no RS até segunda-feira

A chuva não deve deixar o Rio Grande do Sul até segunda-feira, conforme a Somar Meteorologia. Depois de uma manhã de quinta-feira com precipitações em diversas regiões, a chuva deve se concentrar na Metade Norte, a área que já é mais atingida, durante a tarde.

As temperaturas tendem a ficar na casa dos 20°C, que é a máxima prevista para Porto Alegre. A marca mais alta deve ficar por conta de Encruzilhada do Sul, com 24°C.

— As temperaturas começam a diminuir no Sul, e algumas cidades terão 16°C. A temperatura continua caindo neste resto de semana — afirma a meteorologista Maria Clara Sassaki.

No domingo, a chuva volta a atingir todas as regiões do Estado.

Os sete maiores acumulados desde segunda-feira nas cidades onde há medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)

1. Santo Augusto — 200,4mm (média para junho: 117,7mm)
2. Santa Rosa — 145,2mm (média para junho: 132,5mm)
3. Ibirubá — 150,8mm (média para junho: 149,5mm)
4. Palmeira das Missões — 142,6mm (média para junho 127,8mm)
5. Lagoa Vermelha — 110,4mm (média para junho: 132,4mm)
6. Frederico Westphalen — 121,8mm (média para junho: 92,1mm)
7. Passo Fundo — 124,4mm (média para junho: 129,4mm)

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.