Morte na cadeia

Condenado até 2041, traficante é encontrado morto na Pasc

Criminoso era considerado um dos mais temidos do Estado e somava 45 anos de condenações

14/07/2014 | 16h31

Considerado um dos criminosos mais temidos do Estado, Jaime Evangelista Pires, 41 anos, foi encontrado morto na manhã desta segunda-feira na Penitenciária de Alta Segurança de Charqueadas (Pasc). Nego Jaime, como era conhecido, tinha sinais de enforcamento e estava dentro de uma cela de isolamento.

Envolvido com o tráfico de drogas, Pires tinha condenações que somavam 45 anos, até 2041, por roubos, homicídio, e falsificação de documentos. Em 2009, foi preso com um grupo de criminosos na Operação Cova Rasa, sob suspeita de encomendar a morte de dezenas de desafetos por causa de dívidas de tráfico ou por disputa de bocas de fumo, em Canoas.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora

Por ser considerado perigoso, ele passou 12 meses em uma prisão federal em Campo Grande (MS) entre 2009 e 2010. De volta à Pasc, Pires estaria se sentindo ameaçado por ter brigado no final de 2012 com um ex-comparsa, também preso no complexo. Mesmo recolhido, Nego Jaime continuaria comandando crimes por celular. Em setembro de 2013, foram apreendidos na cela dele um carregador, uma bateria, dois pedaços de serra e um chip, escondidos no vaso sanitário.

Nos últimos dias, o detento apresentava sinais de depressão, com medo de ser assassinado ou de algum familiar ser morto. Pediu para ser transferido de uma galeria para o isolamento (triagem), o que ocorreu na semana passada. Pires recebeu atendimento psiquiátrico, mas seguiu desanimado. No final de semana, teria se recusado a receber visitas. A morte será investigada pela Polícia Civil.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.