Oriente Médio

Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e França pedem ampliação do cessar-fogo em Gaza

Chanceleres solicitaram solidariedade das duas partes com as populações civis

26/07/2014 | 13h06
Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha e França pedem ampliação do cessar-fogo em Gaza Justin Tallis/AFP
População foi às ruas em Londres para pedir o fim da violência em Gaza Foto: Justin Tallis / AFP

Os chanceleres dos Estados Unidos, do Reino Unido, da França, da Alemanha, da Itália, além do Catar e da Turquia pediram neste sábado a ampliação da trégua humanitária de 12 horas em vigor na Faixa de Gaza entre Israel e o movimento islâmico Hamas.

Desde o início do cessar-fogo temporário, às 8h do horário local (2h, no horário de Brasília), foram retirados dos escombros mais de 80 corpos de palestinos. A trégua humanitária deve terminar às 20h (14h, no horário de Brasília).

Após reunião em Paris, o ministro dos Negócios Estrangeiros da França, Laurent Fabius, anunciou o pedido em nome dos chanceleres.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora
Entenda a origem da crise entre judeus e palestinos na Faixa de Gaza

— Esta reunião foi positiva, permitiu definir orientações comuns para a ação internacional a favor de um cessar-fogo em Gaza. Todos nós apelamos às partes para que prolonguem o cessar-fogo humanitário, que está atualmente em vigor, por 24 horas renováveis — disse.

Segundo Fabius, o objetivo dos países é facilitar um acordo de cessar-fogo duradouro o mais breve possível. "Um cessar-fogo duradouro negociado, que responda às necessidades legítimas israelenses em termos de segurança e às necessidades legítimas palestinas de acesso e desenvolvimento socioeconômico".

Os chanceleres pediram solidariedade das duas partes com as populações civis "duramente atingidas" pelos combates e ressaltaram a importância da participação da Autoridade Palestina nas negociações. 

— Estamos convencidos da necessidade de associar a Autoridade Palestina a estes objetivos.

Os ministros das Relações Exteriores de Israel, da Palestina e do Egito não participaram do encontro, chamada pela França de "reunião internacional de apoio ao cessar-fogo humanitário em Gaza". O chanceler francês, no entanto, telefonou para eles repassando o que foi discutido no encontro.

O ministro alemão, Frank-Walter Steinmeier, ressaltou que o momento não é de procurar "responsabilidades pela atual escalada" da violência, mas "encontrar uma posição comum que faça parar as mortes".

Após pressão da comunidade internacional, principalmente dos Estados Unidos e do Egito, principais países envolvidos nas negociações, Israel e o Hamas concordaram em um cessar-fogo de 12 horas, período que será aproveitado como uma "janela de oportunidade" pelas equipes de emergência para resgatar corpos das vítimas dos escombros, transportar suprimentos e atender feridos, além da evacuação de pessoas da região para atravessar a fronteira rumo a outros países.

*Agência Brasil

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.