Sustentabilidade

ZH responde dúvidas de leitores sobre bairro sustentável no Sul

Projeto é o primeiro do Rio Grande do Sul e provocou questionamentos de leitores

23/07/2014 | 17h21

Zero Hora publicou na terça-feira uma reportagem sobre o primeiro bairro sustentável do Rio Grande do Sul, que deverá começar a ser construído em Pelotas ainda neste ano com previsão de ficar completamente pronto em 10 anos. O empreendimento será o primeiro bairro do Estado a ser certificado pela organização "US Green Building Council" por meio do selo "Leed for Neighborhood Development".

Como será o primeiro bairro sustentável do Rio Grande do Sul
Leia todas as últimas notícias de Zero Hora
Leia todas as notícias sobre sustentabilidade

Algumas dúvidas que surgiram entre os leitores:

1) A matéria é uma publicidade?

Não. A reportagem descreve um empreendimento que representa uma novidade imobiliária no Estado. Em projetos de sustentabilidade, é comum que sejam citados exemplos positivos – sejam de empresas privadas ou de instituições públicas. Zero Hora avisa a seus leitores, com os dizeres "informe comercial", "informe publicitario" ou "conteudo publicitario" quando algum conteudo não foi produzido pela redação e se trata de publicidade.

2) Considerando que na maioria das vezes o empregado não escolhe onde trabalhar, quantas pessoas, de fato, irão trabalhar e viver no mesmo lugar?

O escritório de engenharia responsável pelo projeto não tem essa estimativa, mas informa que 20% do empreendimento será destinado à área comercial e o restante será residencial. Um dos requisitos para ganhar a certificação de bairro sustentável é ter, para cada residência, paradas de ônibus em um raio de, no máximo, 400 quilômetros para incentivar o uso do transporte público.

3) Toda necessidade de luz será suprida com fontes renováveis?

Não. A energia eólica ou por fonte solar poderá acarretar em uma economia de até 40% da conta de luz, mas cerca de 60% da eletricidade ainda terá de vir da concessionária local.

4) O bairro não é 100% autossustentável?

Não. Nenhum bairro no mundo tem tecnologia suficiente para ser 100% autossustentável.

5) Em Porto Alegre, as construções são obrigadas a ter sistema de captação da chuva?

Depende. Se o terreno for tapado com piso impermeável, o proprietário tem de fazer uma cisterna para coletar chuva e, depois, ir despejando essa água aos poucos na rede coletora e assim evitar entupimento de bueiros. O que se propõe no bairro Quartier é diferente: a água captada da chuva seria reaproveitada para regar plantas ou para usar em vasos sanitários.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.