Ebola

Ebola faz Quênia fechar fronteira para africanos de três países

Moradores de Guiné, Libéria e Serra Leoa, principais países atingidos pela epidemia, não poderão entrar no Quênia

16/08/2014 | 16h07
Ebola faz Quênia fechar fronteira para africanos de três países Carl de Souza/AFP
O vírus ebola é uma febre hemorrágica que deixou 932 mortos desde o início do ano em quatro países da África Foto: Carl de Souza / AFP

As autoridades do Quênia anunciaram neste sábado a proibição de entrada em seu território, a partir da próxima quarta-feira, de pessoas provenientes de Guiné, Libéria e Serra Leoa, principais países atingidos pela epidemia de febre hemorrágica Ebola.
A companhia aérea nacional, Kenya Airways, aproveitou a ocasião para anunciar a suspensão dos seus voos para esses países a partir de quarta-feira.

"Diante de temores de saúde pública, o governo do Quênia decidiu suspender temporariamente a entrada no Quênia dos viajantes procedentes de ou que tiverem atravessado os três países africanos afetados pelo Ebola, isto é, Serra Leoa, Guiné e Libéria", declarou o ministro queniano da Saúde, James Macharia.

A medida será aplicada em todos os pontos de entrada do país, acrescentou. A decisão não afeta o pessoal sanitário envolvido na luta contra a epidemia, nem os quenianos procedentes destes países, embora eles vão ser submetidos a "um exame exaustivo e, se for necessário, serão postos em quarentena", explicou Macharia.

Ministério da Saúde desmente boatos sobre ebola no Brasil
O que é o vírus ebola, que deixou mais de 900 mortos
Leia todas as notícias publicadas por Zero Hora

Os viajantes procedentes de Nigéria ou Gana, onde foram registrados menos casos de infecção pelo vírus Ebola, poderão entrar no país, acrescentou. A Kenya Airways suspenderá seus voos para a Libéria e Serra Leoa também a partir da meia-noite de quarta-feira "com base na avaliação do risco, feita pelo ministério queniano da Saúde", informou a companhia em um comunicado.

O diretor dos serviços médicos do ministério da Saúde, Nicholas Muraguri, destacou, por sua vez, que não foi detectado nenhum caso de Ebola no país. Os quatro casos suspeitos deram negativo.

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.