Censura?

Jornal suspende uma de suas edições alegando falta de liberdade no Equador

Periódico La Hora tem publicações regionalizadas e extinguiu a sua versão na cidade de Manabí, no Sudoeste

01/08/2014 | 15h49

O jornal equatoriano La Hora, considerado de oposição pelo governo do país, suspendeu a impressão de uma de suas edições regionais alegando falta de liberdade. A suspensão ocorreu em função de uma lei aprovada em julho de 2013, que aumentou o controle sobre os meios de comunicação no país.

O veículo de comunicação atua em todo o Equador — com conteúdos diferentes em cada umas das cidades em que é publicado, além de uma edição nacional — e imprime 41 mil exemplares diariamente. De acordo com o diretor do jornal, Luis Eduardo Vivanco, o periódico suspendeu sua circulação na província litorânea de Manabí, no sudoeste do Equador, após 16 anos de publicação.

— Não há liberdade de imprensa, a censura e a auto-censura circulam sem pudores — expressou o La Hora Manabita em seu último editorial.

Leia todas as últimas notícias de Zero Hora
Leia todas as notícias sobre Mundo

No entanto, o órgão estatal de regulação da imprensa rejeitou a versão do La Hora.

— O fechamento não tem nada a ver com a lei, mas com uma estratégia comercial — afirmou Paulina Mogrovejo, porta-voz do Conselho de Regulação da Informação.

Em julho, a revista HOY, de Quito, também suspendeu sua impressão e migrou para a versão eletrônica, alegando restrições a sua liberdade. Em 2013, o Vanguardia, outra revista de oposição, deixou o mercado com o mesmo argumento.

* AFP

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.