Conflito no Oriente Médio

ONU promete reconstruir Gaza "pela última vez"

Secretário-geral da organização pediu o fim do conflito entre Israel e o Hamas

06/08/2014 | 17h51
ONU promete reconstruir Gaza "pela última vez" Spencer Platt/Getty Images/AFP
Secretário-geral da ONU prometeu ajuda para reconstrução de Gaza, mas quer fim do conflito Foto: Spencer Platt / Getty Images/AFP

A Organização das Nações Unidas (ONU) está disposta a ajudar na reconstrução de Gaza pela última vez, afirmou nesta quarta-feira o secretário-geral da organização, Ban Ki-moon. De acordo com ele, o conflito entre Israel e o grupo fundamentalista islâmico Hamas precisa ter fim.

— Nós vamos construir novamente, mas esta deve ser a última vez. Isso deve parar agora — disse.

De acordo com o jornal indiano Millennium Post, Ban Ki-moon abriu uma reunião especial da Assembleia Geral das Nações Unidas com um apelo para uma paz duradoura, a partir da ampliação do cessar-fogo de 72 horas entre Israel e o Hamas. Depois de três guerras em Gaza nos últimos seis anos, o secretário-geral da ONU alertou que a paciência do mundo com os israelenses e palestinos estava sendo testado.

Leia todas as notícias sobre o conflito em Gaza
Confira todas as últimas notícias de Zero Hora

— O ciclo sem sentido do sofrimento em Gaza, assim como em Israel, tem que acabar — afirmou o secretário, que ainda indagou:

— Nós temos que continuar assim: construir, destruir, construir e destruir?

Israel e as milícias palestinas na Faixa de Gaza, lideradas pelo Hamas, cumpriram à risca o primeiro dia da trégua de 72 horas, sem notícias de incidentes. É a primeira de oito tréguas a ser respeitada pelos dois lados.

O cessar-fogo começou às 8h da última terça-feira (2h em Brasília). Pouco antes disso, o exército israelense se retirou totalmente do território palestino, após anunciar a destruição dos 32 túneis do Hamas encontrados.

Desde o início da ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza, no dia 8 de julho, 1.881 palestinos morreram, a maioria civis, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU). Do lado israelense, foram confirmadas 67 mortes, das quais 64 são de militares e os outros três civis, dois israelenses e um tailandês, atingidos por foguetes lançados de Gaza.

* Zero Hora, com agências

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.