Tremor na Ásia

Terremoto provoca 367 mortes no sudoeste da China

O fenômeno, que atingiu regiões montanhosas do país, deixou cerca de 2 mil feridos

Atualizada em 03/08/2014 | 18h2603/08/2014 | 10h21
Terremoto provoca 367 mortes no sudoeste da China STR/AFP
Corpo é carregado por militares em Zhaotong Foto: STR / AFP

Pelo menos 367 pessoas morreram em decorrência de um forte terremoto que abalou neste domingo a montanhosa província chinesa de Yunnan, segundo o novo balanço das vítimas divulgado pela agência estatal de notícias Xinhua. O tremor atingiu a prefeitura de Zhaotong e, de acordo com as primeiras informações, deixou cerca de 2 mil feridos.

O terremoto registrado no município de Zhaotong, noroeste da província, provocou o desabamento de edifícios. Moradores e as equipes de resgate trabalharam para retirar os sobreviventes dos escombros, segundo imagens divulgadas nas redes sociais.

Leia todas as notícias publicadas por Zero Hora

O tremor de 6,1 graus de magnitude aconteceu às 16h30min (5h30min de Brasília) ao noroeste da província de Yunnan, a uma profundidade de 10 quilômetros, segundo o Centro de Geofísica dos Estados Unidos (USGS).

– Muitos edifícios sofreram danos e estamos reunindo informações sobre os mortos e os feridos – declarou à agência Xinhua Chen Guoyong, funcionário do governo municipal de Longtoushan, que fica no epicentro do tremor.

– Os muros de vários edifícios racharam e as tubulações de água quebraram. A energia elétrica foi cortada – escreveu na rede social Weibo (equivalente chinês do Twitter) um internauta que afirma ser morador do distrito de Ludian, próximo ao epicentro.

Mais de 120 mortes aconteceram no distrito de Ludian, de acordo com a China News Service, a segunda agência oficial de notícias do país. Mais de 30 pessoas morreram em dois distritos vizinhos, todos no município de Zhaotong, segundo a mesma agência.
 
Ajuda aos sobreviventes Equipes de bombeiros e dezenas de integrantes das forças de segurança pública estavam a caminho do local da tragédia, informou o canal público CCTV. A emissora exibiu vídeos gravados no distrito de Ludian que mostram os moradores aterrorizados com os tremores secundários e correndo para as ruas.

O internauta que se identificou como habitante de Ludian publicou fotos de paredes rachadas e escombros nas ruas.

A imprensa estatal anunciou o envio de 2,5 mil soldados às áreas afetadas pelo terremoto, que se unirão a uma equipe de mais de 300 policiais e bombeiros procedentes da cidade de Zhaotong, capital do município.

As equipes enviadas para a região contam com instrumentos de detecção de vida e ferramentas para a retirada de escombros.

– Não tivemos tempo para tratar dos cadáveres. Primeiro temos que ajudar os sobreviventes – disse Ma Hao, estudante que se apresentou como voluntário para retirar os feridos dos prédios que desabaram em Longtoushan.

O USGS advertiu ao noticiar o tremor que, em geral, a população desta região vive em estruturas muito vulneráveis aos terremotos.

O sudoeste da China, situado entre as placas tectônicas Euroasiática e da Índia, é cenário frequente de terremotos. Os extremos montanhosos entre as províncias de Yunnan, Sichuan e Guizhu, de difícil acesso, registraram muitos terremotos nos últimos anos. Em 1974, um tremor de 6,8 graus na mesma região matou mais de 1,5 mil pessoas. Em setembro de 2012, outras 80 pessoas morreram em dois terremotos na região montanhosa entre Yunnan e Ghizhu. Na vizinha Sichuan, uma das províncias de maior população da China, um terremoto de oito graus em maio de 2008 deixou 87 mil mortos e desaparecidos.

* AFP

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.