Operação Sinos

Polícia Civil prende 16 suspeitos de extorsão e sequestros na Região Metropolitana

Cerca de 70 agentes estiveram envolvidos no cumprimento de 16 mandados de prisão e 20 ordens de busca e apreensão

Atualizada em 04/09/2014 | 12h5204/09/2014 | 08h06
Polícia Civil prende 16 suspeitos de extorsão e sequestros na Região Metropolitana Camila Hermes/Especial
Presos foram levados para a Delegacia de Repressão a Roubos e Extorsões do Deic Foto: Camila Hermes / Especial

Um operação da Delegacia de Repressão a Roubos e Extorsões do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) desarticulou nesta manhã grupos de criminosos suspeitos de envolvimento em pelo menos 10 casos de extorsões e sequestros de familiares de gerentes de bancos, de comerciantes e pequenos empresários na Região Metropolitana, Vale do Sinos e Litoral Norte.

Cerca de 70 agentes prenderam 16 pessoas e cumpriram 20 ordens de busca e apreensão em Porto Alegre, Gravataí, Esteio, São Leopoldo, Novo Hamburgo e Sapucaia.

Foram presos dois apenados já condenados e recolhidos em uma penitenciária de Charqueadas e dois detentos do regime semiaberto no Instituto Penal de São Leopoldo.

Leia mais:
Mulher de funcionário de banco é sequestrada em São Leopoldo
Sequestro de marido de gerente de banco termina em tiroteio e morte
Um a cada seis ataques a banco tem refém no Estado

Um deles teria ordenado o sequestro de um mecânico de carros, em Canoas, em fevereiro. Outro, participado de dois sequestros de gerentes de banco em São Leopoldo, um em Canoas e outro em Sapucaia do Sul, em 7 de agosto, que resultou na morte de dois comparsas em confronto com PMs. Um outro detento é suspeito de envolvimento no sequestro de uma comerciante em março, em Sapucaia do Sul.

Áudios revelam negociação de sequestrador com familiar:





Conforme o delegado Joel Wagner, que comandou a operação, esse é tipo de crime que mais preocupa.

— São casos delicados porque estamos lidando com vidas, com reféns.

De acordo com o delegado, o perfil do sequestro mudou. 

— Estão sequestrando bancários e pequenos comerciantes para extorquir qualquer valor, embora os pedidos de resgates, em primeiro momento, variam de R$ 500 mil  a R$ 1 milhão.

Leia as últimas notícias de Zero Hora

Wagner salienta a importância de os familiares comunicarem o caso à polícia.

— Este ano, com a nossa orientação e acompanhamento, em pelo menos cinco casos, os reféns foram libertados sem pagamento de resgate — assegura o delegado.


Uma coletiva de imprensa com os delegados responsáveis pelo caso, Joel Wagner e Adriana Gomes, está prevista para as 11h desta quinta-feira.

* Zero Hora

VEJA TAMBÉM

     
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.