Acidente

Ponte de acesso a Jaguari desaba, e caminhão e carro caem em rio

Segundo a Brigada Militar, a ponte tinha cerca de 50 metros de altura

31/05/2015 - 17h26min | Atualizada em 01/06/2015 - 02h47min
Ponte de acesso a Jaguari desaba, e caminhão e carro caem em rio Barney Medeiros/Especial
Foto: Barney Medeiros / Especial  

A ponte de ferro Júlio de Castilhos, principal acesso de Jaguari, na Região Central do Estado, não aguentou o peso de um caminhão bitrem e de uma Saveiro e desabou por volta das 16h30min deste domingo. Esta é a 5ª ponte que cai na região nos últimos 13 anos.

Leia também: Identificado homem que morreu em acidente em Santa Maria

Segundo informações da Brigada Militar, o bitrem, com placas de Santiago, e a caminhonete, com placas de Santa Maria, passavam pela ponte bem na hora em que ela cedeu. 

A Saveiro caiu na água e ficou com as rodas para cima. O motorista, Diogo Patias, 30 anos, não sofreu ferimentos graves. Ele está internado no Hospital de Caridade de Santiago em observação porque engoliu muita água.

'Dia 31 de maio é meu novo aniversário', diz motorista que sobreviveu à queda da ponte

— Quando se passava de ônibus pela ponte, dava para perceber que ela ficava muito bamba. E não havia nenhuma placa avisando que corria riscos — afirmou o jaguariense Iuri Patias, 23 anos, primo de Diogo.

  

Cirino Crivellaro, Arquivo Pessoal
Foto: Cirino Crivellaro, Arquivo Pessoal

Parte do caminhão bitrem também chegou a despencar. A outra parte ficou pendurada na ponte, presa à cabine. O motorista, Marion Muskoph, 47 anos, sofreu ferimentos leves, foi atendido no Hospital de Caridade de Santiago e liberado.

Leia também: Ponte na Várzea do Toropi, na BR-287, deve ficar pronta no fim de junho

Aqqnmt8pPu8bg5viX44lJ53mU33cBBO-CJRpI-VvU6mb
Foto: Cirino Crivellaro, Arquivo Pessoal

Segundo a Brigada Militar, a ponte tem mais de 100 anos e estaria sem manutenção.

O prefeito de Jaguari, João Mário Cristofari, garantiu que não havia restrições quanto à passagem de caminhões e bitrens. De acordo com o procurador jurídico do município, Eduardo Diefenback, há cerca de três anos a prefeitura foi questionada pelo Ministério Público sobre a situação da ponte, já que, segundo ele, a estrutura foi cedida pelo Estado em 1941, após uma uma enchente que atingiu Jaguari.

O procurador jurídico garantiu que uma vistoria do MP, feita em novembro passado, não detectou problemas estruturais na ponte, construída em 1899. A prefeitura garantiu, neste domingo, que não tem dinheiro para reconstruir a estrutura e vai pedir ajuda ao Estado.

Acesso alternativo

Com o principal acesso de Jaguari interrompido, o caminho para quem quer chegar à cidade é continuar seguindo pela BR-287 e, quatro quilômetros adiante da ponte, entrar no segundo trevo de acesso.

jaguari

* Diário de Santa Maria

Cenário de descaso

Em novembro do ano passado, reportagem de Zero Hora identificou falhas nas inspeções rotineiras de órgãos como o  Daer e o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). As inspeções, em sua maioria, eram exclusivamente visuais. Cada uma das 17 unidades regionais do Daer tem entre um e quatro engenheiros para verificar as condições das estruturas erguidas sobre rios, rodovias e ferrovias. Mas o número é pequeno frente à demanda: são 851 pontes e viadutos, além de dois túneis, ambos na Rota do Sol.

Em janeiro de 2015, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) anunciou que passaria a fiscalizar os cuidados atribuídos a pontes, viadutos e túneis sob a responsabilidade do Estado e de municípios. A decisão foi tomada a partir de um levantamento, concluído no fim de 2014, que revelou um cenário preocupante: nove das principais cidades gaúchas e até o Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer) carecem de planos detalhados de manutenção, capazes de prevenir riscos.

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.