Investigação

TCU deve continuar solicitando ao BNDES documentos específicos sobre operações

Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o BNDES envie ao TCU os dados dos empréstimos concedidos ao Grupo JBS

03/06/2015 - 15h43min

A iniciativa do BNDES de disponibilizar, desde terça-feira, informações mais detalhadas sobre contratos de financiamentos no Brasil e no exterior não fará com que o Tribunal de Contas da União (TCU) deixe de continuar solicitando ao banco de fomento documentos específicos sobre determinadas operações.

Na semana passada, o Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o BNDES envie ao TCU os dados dos empréstimos concedidos ao Grupo JBS. De acordo com a assessoria de imprensa do órgão de controle, essa demanda exige a obtenção de dados específicos para o caso, até então sigilosos.

Coutinho nega interferência do governo em financiamento do BNDES à Sete Brasil
Governo tenta compensar corte no orçamento com anúncio de pacote de concessões

"As medidas divulgadas pelo banco devem aumentar o nível de informação, mas as soluções processuais dependem da requisição de documentos específicos e individualizados que, provavelmente, não estarão contemplados na disponibilização de dados mencionada", afirmou o TCU em nota.

O BNDES publicou na terça-feira informações sobre empréstimos a projetos no exterior entre 2007 e 2015 — incluindo empreendimentos em Cuba e Angola, antes classificados como secretos — e sobre os contratos domésticos desde 2012. Além de um resumo do objeto do contrato — com detalhamento sobre os projetos financiados —, estão disponíveis também informações como taxa de juros de cada contrato, os valores, os prazos e as garantias. Já informações cadastrais, estratégias de negócios, a situação financeira e o rating das empresas não serão divulgados.

Pacote de concessões do governo federal está orçado em R$ 150 bi
Marta Sfredo: caixa preta no BNDES

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.