Crise política

"Isso aqui não é o Paraguai", diz ex-marido de Dilma

Carlos Araújo diz que impeachment é vingança de Cunha, classificado por ele como "corrupto"

02/12/2015 - 21h35min
"Isso aqui não é o Paraguai", diz ex-marido de Dilma Emílio Pedroso/Agencia RBS
Foto: Emílio Pedroso / Agencia RBS  

Ex-marido e conselheiro de Dilma Rousseff, Carlos Araújo foi ríspido ao comentar a aceitação do pedido de impeachment por parte do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), a quem chamou de corrupto. Araújo disse que a oposição não tem votos suficientes para derrubar Dilma, afirmou que o impeachment não tem base social e acusou a imprensa e "uma classe média alta muito imbecil de São Paulo" pelos desdobramentos políticos do país.

Cunha aceita pedido de abertura de processo de impeachment de Dilma
Razões para impeachment são "inconsistentes", diz Dilma Rousseff

A decisão de Eduardo Cunha é uma vingança ou tentativa de barganhar a sua sobrevivência?

É uma vingança de um corrupto reconhecido. Ele está seguindo o pedido do Aécio (Neves, senador e presidente nacional do PSDB), das forças golpistas, sob a liderança do Aécio. É uma violência, uma coisa absurda. Não tem base jurídica. É um artificialismo. O Congresso Nacional é essa coisa que está aí, são capazes de qualquer coisa. Mas eles não têm votos suficientes (para aprovar o impeachment, são necessário dois terços dos 513 deputados) para impor essa violência. Isso aqui não é o Paraguai (referência ao impeachment do presidente Fernando Lugo, em junho de 2012). É uma coisa feita para intimidar, para o país continuar em dificuldade econômica e atrapalhar o processo de superação da crise.

Vai causar paralisia do país?

Eles vão tentar isso, paralisar. Mas não tem nenhuma classe social apoiando eles. Isso é fruto do desejo do Aécio Neves. Em 2018, não será ele o candidato, será o Alckmin (Geraldo, governador de São Paulo). Então ele faz isso aí, faz de conta que rompeu com o Cunha. Sairemos fortalecidos dessa vergonha para o país. País sério não faz isso.

Cunha não fez mais do que a obrigação, diz autor do pedido de impeachment
"Cunha escreveu certo por linha tortas", diz Reale Junior sobre abertura de processo

O governo Dilma perdeu completamente o apoio da sociedade, a base política está desgastada e há larga corrupção na Petrobras, que abasteceu o PT. Isso não serve como argumento?

Não vamos misturar as coisas. Petrobras é uma coisa a parte, vem desde o FHC. Não vamos fazer essas conversinhas. A Dilma ninguém intimida. Esse movimento não tem base social nenhuma. É uma classe média alta muito imbecil de São Paulo e essa mídia. Fizeram isso com Getúlio, Jango, são sempre os mesmos.

Leia a íntegra do pedido de impeachment

Entenda o processo de impeachment:

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.