Polícia

Preso pela morte de jovem em São Francisco de Paula confessa crime

Luis Paulo da Silva Nunes confirmou ter matado a estudante de Direito no último domingo e disse que plano era apenas roubar a carteira da jovem

Por: Fernanda da Costa
24/12/2015 - 10h52min | Atualizada em 25/12/2015 - 09h27min
Preso pela morte de jovem em São Francisco de Paula confessa crime Fernanda da Costa/Agencia RBS
Foto: Fernanda da Costa / Agencia RBS  

Preso na noite de quarta-feira, Luis Paulo da Silva Nunes, 31 anos, confessou ter matado a estudante de Direito Dóris Terra Silva, 21 anos, no último domingo, em São Francisco de Paula. O suspeito afirmou que planejava roubar dinheiro da jovem e se diz arrependido do crime.   

Nunes foi detido graças a denúncias feitas à polícia, de que ele estaria hospedado em um motel no Bairro Niterói, em Canoas. A polícia passou 30 horas monitorando o local, e flagrou o suspeito saindo de lá por volta das 22h30min, quando usava a mesma camisa e o mesmo boné que vestia no dia do crime. Ele foi preso na sequência, quando retornava ao estabelecimento.

O suspeito nasceu em Canoas e teria retornado ao Bairro Niterói por se sentir seguro lá, onde morou até o início do ano e possui amigos e familiares. Ele residia em São Francisco de Paula há apenas seis meses, cidade onde esteve internado para tratar a dependência química. No município, teria planejado roubar alguém porque precisava de dinheiro para pagar dívidas.

— Eu não queria matar, ela reagiu. Tenho dois filhos, estou arrependido — disse o suspeito, detido no Palácio da Polícia Civil em Porto Alegre.

Roupas que Nunes usou no dia do crime foram apreendidas e serão encaminhadas para perícia Foto: Fernanda da Costa / Agencia RBS

Conforme a polícia, a confissão do suspeito foi gravada em vídeo e acompanhada pelo advogado dele. Nunes conversou com o profissional antes de relatar como teria cometido o crime aos policiais. O suspeito deve ser encaminhado ao Presídio Estadual de São Francisco de Paula.  

Na terça-feira, a Justiça havia decretado a prisão temporária do suspeito. Agora, a polícia pedirá a prisão preventiva de Nunes, que deve ser indiciado por latrocínio. As roupas que ele usava no dia do crime foram apreendidas e serão encaminhadas para perícia. Com ele, também foram encontrados documentos da jovem.

O depoimento do suspeito

O suspeito disse à polícia que saiu de casa no domingo disposto a assaltar alguém, em busca de dinheiro. Foi caminhando ao estacionamento de um supermercado, onde sentou e esperou por uma vítima. Foi no local que abordou Dóris, após ela fazer compras. 

Ele a ameaçou com uma faca quando ela entrava em seu veículo, um Corolla. Nunes sentou no banco traseiro, atrás dela, e a obrigou a dirigir até a saída da cidade. Na ERS-020, a fez entrar em uma trilha e mandou que ela saísse do carro. Disse à polícia que pretendia apenas roubar dinheiro dela e deixar o veículo, fugindo em direção ao matagal.

Polícia divulgou detalhes do depoimento em coletiva de imprensa na manhã desta quinta-feira Foto: Fernanda da Costa / Agencia RBS

Nunes contou que a moça teria reagido ao deixar o veículo, e ele a feriu com golpes de faca. Após o assassinato, pegou o carro e dirigiu até Sapiranga, onde sacou R$ 500 com um dos cartões da jovem, cuja senha estava anotada nele.

Depois, seguiu até Canoas, onde abandonou o carro no Bairro Rio Branco. De lá, foi direto para o motel onde foi localizado pela polícia. Teria pago a hospedagem com o dinheiro da jovem e passado três dias consumindo drogas.

 Relembre o caso

Estudante do 8º semestre de Direito da PUCRS, Dóris havia desaparecido no começo da tarde de domingo, no município da Serra. Ela disse a familiares que iria à farmácia e, depois, não foi mais vista.

Horas mais tarde, o carro da jovem foi localizado em Canoas. O celular dela estava desligado, dentro do veículo. Às 23h, o corpo da vítima foi localizado a cerca de quatro quilômetros do centro de São Francisco de Paula, às margens da ERS-020.  

Vítima teria sido escolhida de forma aleatória Foto: Arquivo pessoal / Arquivo pessoal

Foi o depoimento de uma testemunha próxima ao suspeito que levou a polícia a identificar Nunes. O investigado teria dito que iria "fazer um dinheiro para o Natal e o Ano-Novo". Ou seja, segundo a polícia, planejava cometer assaltos. Nunes tinha passagens por desacato e porte de drogas. 

Não foi encontrado sangue dentro do veículo. A universitária tinha marcas de facadas na região do peito e do abdômen, machucados nas mãos (que indicariam uma tentativa de reagir) e nenhum sinal de violência sexual.

Filha do ex-prefeito de São Francisco de Paula e atual subsecretário do Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, Sérgio Bandoca Foscarini da Silva, Dóris era estagiária de um escritório de advocacia na Capital, onde morava com a família.  

 
 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.