Versão mobile

Vale do Sinos

"A escória não paga imposto para atirar", diz comandante após morte de PM em Dois Irmãos

Primeiro sargento Arilson Silveira dos Santos foi assassinado com tiro pelas costas após impedir assalto em um bar

23/01/2016 - 21h30min | Atualizada em 23/01/2016 - 23h16min
"A escória não paga imposto para atirar", diz comandante após morte de PM em Dois Irmãos Reprodução/Facebook
O policial militar, que servia à corporação em Dois Irmãos, estava de folga no dia do crime Foto: Reprodução / Facebook

Amigo e companheiro de trabalho do primeiro sargento Arilson Silveira dos Santos há 16 anos, o comandante do 32º BPM, major João Ailton Iarushewski, 44 anos, defendeu a postura do colega, morto em tentativa de assalto na madrugada de sábado em Dois Irmãos, no Vale do Sinos. Segundo a apuração preliminar da Polícia Civil, Arilson tentou impedir que três criminosos assaltasse um bar, no bairro Moinho Velho. 

Menino de 12 anos morre atingido por bala perdida em Porto Alegre  

Mesmo desarmado, ele chegou a render um dos bandidos, mas foi baleado pelas costas e não resistiu. O policial militar, que servia à corporação em Dois Irmãos, estava de folga no dia do crime. Com 42 anos, ele era casado e deixa, além da mulher, dois filhos. Os assaltantes conseguiram fugir em um Chevrolet Prisma, que foi abandonado na Colônia Japonesa, em Ivoti. A Polícia Civil investiga o caso e ainda não identificou os suspeitos. 

Carta da Editora: segurança, o problema mais urgente

– Quando a gente entra na BM, faz um juramento, mesmo com o risco da própria vida. A morte nos acompanha. Trabalhamos com a escória da sociedade, e a escória não paga imposto para atirar. Se puder, atira. Nós ainda pensamos, avaliamos o cenário. O vagabundo não quer saber se vai pegar no policial ou inocente, ele está ali para tudo – afirma o major Iarushewski, cujo batalhão é responsável por Sapiranga e mais 11 municípios. 

BM estreia helicóptero e combate ataques a ônibus  

Formado em 1993 na Brigada, Arilson Silveira dos Santos estava respondendo pelo comando do pelotão de Dois Irmãos. Além de tarefas administrativas, ele coordenava operações policiais na região. O primeiro sargento jogava futebol todos os sábados na cidade e tinha, de acordo com Iarushewski, uma ótima relação com a comunidade: 

– Ele estava num momento de lazer (quando ocorreu o assalto). Porém, somos policiais 24 horas por dia. Na hora, fala mais alto a vontade de servir. A lembrança que fica para todos é de um trabalhador correto, coerente e dedicado.

O corpo de Arilson é velado da noite deste sábado e será sepultado no domingo, às 8h, em Dois Irmãos. A ação dos bandidos foi registrada por câmeras do bar, e as imagens serão encaminhadas para a Polícia Civil. 

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.