Versão mobile

Temporal

Tempestade causou devastação no Parque Marinha do Brasil

Árvores foram derrubadas e tiveram suas copas arrancadas.  Ponto característico do parque, túnel verde foi praticamente destruído

30/01/2016 - 12h03min | Atualizada em 24/02/2016 - 16h27min
Tempestade causou devastação no Parque Marinha do Brasil Bruna Scirea/Agencia RBS
Túnel verde do Parque Marinha do Brasil teve árvores decepadas pelo forte vento da sexta-feira Foto: Bruna Scirea / Agencia RBS

Após o temporal na noite da sexta-feira, o cenário do maior parque da cidade, o Parque Marinha do Brasil, é de devastação. É como se o vento tivesse decepado as árvores. Pouco sobrou do túnel verde, passagem arborizada para pedestres e atletas que caracterizava o parque. Muitas árvores tiveram o topo arrancado e outras foram arrancadas pela raiz. 

O verde característico do parque, hoje, dá lugar a um cenário de desolação — presenciado na manhã deste sábado por moradores que, curiosos, passavam para registrar os estragos. Elza Vaskievicz, 52 anos, dona de casa, assustou-se ao ver a cena.

— O Marinha se foi. Nem parece mais a nossa cidade. Até há pouco tempo, estávamos brigando com a prefeitura porque cortavam árvores. E agora vamos brigar com quem?  — perguntava-se.

Prefeitura e CEEE pedem que moradores não removam árvores e galhos
 
Tempestade derruba árvores, alaga ruas e causa destruição na Capital 

Guaracy Fagundes, 70 anos, aposentado, foi fazer um exame no Hospital Mãe de Deus, próximo ao Marinha, e foi informado que, por falta de luz, o exame teria de ser remarcado. Devido ao bloqueio no tráfego de veículos da Borges de Medeiros em função da queda de postes de luz e de árvores, Guaracy teve de encontrar um novo trajeto para voltar pra casa.

 — Que estrago, imagina a velocidade do vento para quebrar e entortar postes de cimento — comentou.

Árvores foram arrancadas pela raiz no Parque Marinha do Brasil Foto: Júlio Cordeiro / Agencia RBS

Osório Sieben, comerciante que vende churrasquinho sobre o viaduto da Borges com a José de Alencar há 13 anos, encerrou o trabalho ontem à noite no primeiro sinal de mau tempo.

— Geralmente a chuva vem do sul, ontem deu pra ver a tempestade chegando do oeste. Em todo tempo que estou aqui, só vi isso acontecer três vezes. Todas causaram estragos, mas nada parecido com isso. 

* Zero Hora

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.