Nações Unidas

Presidente colombiano na ONU: 'há uma guerra a menos no planeta'

21/09/2016 - 21h59min

O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, disse nessa quarta-feira (21), na Assembleia Geral da ONU, que o acordo para acabar com o conflito armado de mais de meio século com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) deixa o mundo "com uma guerra a menos".

"Estamos virando a página da guerra para começar a escrever o capítulo da paz", disse o presidente, em um discurso emocionado na Assembleia Geral, o qual coincidiu com o Dia Internacional da Paz.

As negociações duraram seis anos, afirmou o presidente - "dois em segredo" e quatro em diálogos abertos.

O acordo final será assinado na próxima segunda-feira (26) em Cartagena e, então, "começará a concentração dos membros da guerrilha em diversos acampamentos, onde entregarão suas armas às Nações Unidas em um prazo de seis meses e começará o processo de reincorporação à sociedade", acrescentou.

Desde que assumiu seu primeiro mandato em 2010, Juan Manuel Santos iniciou diálogos de paz com as Farc, guerrilha que pegou em armas após a insurreição camponesa de 1964.

Segundo o presidente, "é a primeira vez na história da resolução de conflitos armados no mundo em que um governo e um grupo armado ilegal - através de um acordo, e não por imposições externas - acordam uma justiça transicional para se submeter-se".

A perspectiva de que os guerrilheiros ignorem o final do conflito e tentem se reagrupar no Peru levou seu presidente, Pedro Pablo Kuczynski, a assegurar nessa quarta-feira que vai reforçar suas fronteiras com a Colômbia.

"Devemos ficar vigilantes, porque sabemos que, nas áreas próximas ao rio Putumayo, há membros das Farc que querem continuar na ativa, ignorando o tratado de paz", advertiu Kuczynski.

- Obama cumprimenta a Colômbia -

O presidente americano, Barack Obama, disse que o acordo demandou "muito valor" e "trabalho árduo", antes de se reunir a portas fechadas com o presidente colombiano, nesta quarta-feira.

"Não posso estar mais de acordo com esses esforços", declarou Obama.

"Há muitos desafios em sua implementação, mas acredito que é um sucesso de proporções históricas", continuou.

O secretário de Estado americano, John Kerry, assistirá à assinatura do acordo de paz, em Cartagena.

Antes de seu discurso na Assembleia, o presidente colombiano entregou uma pasta com o acordo envolta pela bandeira colombiana ao Conselho de Segurança da ONU, cujos 15 membros receberam-no com aplausos de pé.

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, respondeu que essa negociação "transmite uma mensagem muito poderosa ao mundo".

Em cinco décadas, o conflito armado deixou 260.000 mortos, 45.000 desaparecidos e 6,8 milhões de deslocados.

lm-raa/cd/cr/tt

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.