Estados Unidos

Autópsia de gaúcho morto na Flórida é inconclusiva, e peritos pedem teste toxicológico  

Primeiras análises no corpo de Roger Trindade não apontaram causa da morte. Colegas do pai do adolescente criaram vaquinha para pagar custos hospitalares e translado ao Rio Grande do Sul 

19/10/2016 - 19h21min | Atualizada em 19/10/2016 - 19h28min

Peritos norte-americanos divulgaram, nesta quarta-feira, que o resultado da autópsia no corpo de Roger Trindade, de 15 anos, que morreu após uma agressão em um parque de Winter Park, na Flórida, foi inconclusivo. De acordo com o comunicado, não foi possível apontar a causa da morte nem a maneira como o adolescente morreu. Novos exames foram solicitados, inclusive toxicológicos, e o novo laudo pode demorar semanas.

"Os resultados da autópsia, incluindo a causa e maneira da morte, dependem de novas análises e testes toxicológicos. Esse processo pode levar algumas semanas para ser concluído", diz a nota divulgada pelo Orange County Medical Examiner¿s Office, uma espécie de centro médico de investigações forenses.

Leia mais:
Polícia dos EUA identifica suspeitos de agressão que matou gaúcho na Flórida
Gaúcho morto na Flórida andava de bicicleta quando foi atacado
Adolescente gaúcho é morto em parque da Flórida

Roger Thomé Trindade, natural de Novo Hamburgo, havia se mudado com a família em janeiro deste ano para Winter Park. O pai dele, Rodrigo, foi transferido a trabalho para a Flórida. No último sábado, o adolescente foi agredido em um parque por um grupo de jovens e levado ainda com vida ao hospital. Ele ficou conectado a aparelhos durante dois dias e teve a morte confirmada pela polícia nesta terça-feira. 

Amigos e colegas do pai do garoto criaram uma campanha de arrecadação de verba na internet para pagar os custos hospitalares e o translado do corpo do adolescente para o Rio Grande do Sul, onde deve ser sepultado, a pedido da família. Em menos de 24 horas a campanha alcançou e ultrapassou a meta de US$ 20 mil. No fim da tarde desta quarta-feira, a "vaquinha" tinha registrado doações de quase US$ 30 mil.

"Rodrigo, com sua esposa Adriana e seu filho Roger, vieram para a América em busca de um sonho e uma vida melhor. Por uma ironia da vida, os pais perderam seu filho de 15 anos numa tragédia que ocorreu em Winter Park, após uma briga de adolescentes. O filho foi levado para o hospital na noite do sábado, dia 15 de outubro, quando foi detectada a morte cerebral do Roger. Desde então ele estava conectado a máquinas para os últimos exames, o que criou uma conta gigantesca no hospital. Além disso, a família deseja levar o corpo do Roger para ser sepultado no Brasil", diz um trecho do texto publicado na seção da campanha por Roger, no site Go Fund Me.

Nesta terça-feira, o chefe do departamento de polícia de Winter Park, Michael Deal, disse que a polícia já identificou os suspeitos de terem agredido o adolescente. Deal afirmou que ainda não sabe a motivação do crime, mas descartou a possibilidade de relação com crime de ódio, briga de gangues ou racismo. Ressaltou que trata-se de um caso isolado na cidade. 

*Zero Hora

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.