Combate ao crime

Força Nacional de Segurança poderá ficar de forma permanente no RS

Portaria do governo federal prevê a atuação da Força até o dia 2 de novembro

Por: Matheus Schuch/RBS Brasília
18/10/2016 - 16h35min
Força Nacional de Segurança poderá ficar de forma permanente no RS Leo Munhoz/Agencia RBS
Foto: Leo Munhoz / Agencia RBS

O Ministério da Justiça estuda tornar permanente a presença da Força Nacional de Segurança no Rio Grande do Sul. Desde o final de agosto, 136 homens reforçam o trabalho policial na Capital gaúcha. As informações são da Rádio Gaúcha.

A portaria publicada pelo governo federal prevê a atuação da Força até o dia 2 de novembro, mas, diante da demanda de reforço no combate à criminalidade, está sendo discutido um plano para estender a atuação dos militares em Porto Alegre. A ideia é que a medida também seja adotada em outras capitais.

— Nós vamos, a partir de amanhã (quarta-feira), dar sequência a um plano conjunto com os estados. Vamos ouvir outros atores, como o Ministério Público e o Judiciário, para ver se conseguimos fechar em duas ou três semanas um plano permanente de apoio a todas as grandes capitais — explicou o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, após ser questionado sobre a prorrogação da Força Nacional no Rio Grande do Sul.

Leia mais
Com 20 mortes, mês de outubro é o mais violento do ano em Caxias
"É um cenário cinematográfico", diz oficial da BM sobre confronto em Caxias
Após tiroteio, BM prende suspeito de matar jovem dentro do aeroporto

A declaração ocorreu após uma reunião com senadores do PSDB, nesta terça-feira, no Congresso.

O Ministério da Justiça ainda não esclareceu se o efetivo presente em Porto Alegre será alterado e se outras cidades gaúchas poderão receber apoio. O deslocamento de soldados para Porto Alegre foi autorizado após pedido do governador José Ivo Sartori, que foi atendido de forma imediata. 

Leia as últimas notícias

*Rádio Gaúcha

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.