Articulação

Para ex-ministro, renovação da direção do PT não deve ser prioridade

Gilberto Carvalho afirma que o foco do partido deveria ser a mobilização contra a agenda de reformas do governo Michel Temer

Por: Estadão Conteúdo
17/10/2016 - 07h52min
Para ex-ministro, renovação da direção do PT não deve ser prioridade Bruno Alencastro/Agencia RBS
Foto: Bruno Alencastro / Agencia RBS

Ex-ministro da Secretaria-Geral da Presidência no governo Luiz Inácio Lula da Silva e um dos petistas mais próximos do ex-presidente, Gilberto Carvalho disse que, em vez de se digladiarem pelo controle da direção petista, as principais correntes do partido deveriam manter o foco em problemas maiores que o PT enfrenta hoje.

— Amanhã, o Lula pode ser condenado, pode ser preso, e não vai adiantar nada ter PED (Processo de Eleição Direta) ou congresso. Isso é o de menos neste momento. Me assusta que o tema dominante esteja sendo este — afirmou Carvalho. 

Leia mais
Investigações no STF já atingem 18 ministros da era petista 
Entenda os tipos de sistema eleitoral em discussão na reforma política 
Impasses travam delação premiada de Marcelo Odebrecht

Segundo o ex-ministro, o foco do PT deveria ser a mobilização contra a agenda de reformas do governo Michel Temer.

— Acho inadequado que em um momento tão grave como este que estamos vivendo, em que o país está sendo atropelado por medidas do governo Temer, que gente importante do partido esteja se dando o tempo de pensar mais nas coisas de renovação da direção do que em uma união fundamental ao PT.

Carvalho defendeu a união do partido em apoio à atual direção, em vez de fragilizá-la. 

— Tem que dar força para esta direção ficar de pé porque, quer queira quer não, esta direção vai levar o partido no mínimo até março ou abril. São seis meses fundamentais para a gente depois deste massacre eleitoral — disse. 

As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.