Clima

Temporal danifica 945 casas no Rio Grande do Sul, aponta Defesa Civil

Pantano Grande, Novo Hamburgo e Monte Alegre dos Campos aparecem entre os municípios mais atingidos pela chuva, vento e granizo

Por: Zero Hora
17/10/2016 - 14h47min | Atualizada em 17/10/2016 - 18h46min
Temporal danifica 945 casas no Rio Grande do Sul, aponta Defesa Civil Maiara Bersch/Agencia RBS
Em Santa Maria, alagamentos levaram a Defesa Civil a elevar o alerta em áreas de risco Foto: Maiara Bersch / Agencia RBS

Um balanço da Defesa Civil, divulgado no começo da tarde desta segunda-feira, mostra que a chuva intensa, associada ao vento forte, raios e granizo, afetaram pelo menos 945 imóveis no Rio Grande do Sul. O levantamento mostra que 38 localidades relataram danos em razão do temporal, e 52 famílias precisaram sair de suas casas. Não há registro de feridos.

Pantano Grande, na Região Central, registra o maior número de famílias atingidas. Conforme informações da Coordenadoria de Defesa Civil municipal, cerca de 400 residências, de seis bairros, foram isoladas. Abrigos estão sendo organizados para que, se necessário, as pessoas saiam de casa. O município também decretou situação de emergência. Em Santa Maria, escolas chegaram a cancelar as aulas com o alagamento das salas

Leia mais
AO VIVO: acompanhe a atualização dos estragos e transtornos no RS 
Prefeitura de Pantano Grande decreta situação de emergência 
Nove rodovias do RS têm problemas no trânsito em função do temporal 

Na Região Metropolitana, Novo Hamburgo é um dos municípios mais atingidos. Segundo a Defesa Civil, 12 famílias já precisaram deixar suas residências e foram para casa de familiares ou amigos. Ao todo, 90 casas foram atingidas pela água na localidade – que registra um dos maiores volumes de chuva acumulada:

Em Porto Alegre, a zona norte e a área central registraram  quase 70% da chuva esperada para o mês de outubro em apenas 11 horas. Da meia-noite até as 11h desta segunda-feira, o bairro Sarandi teve 78,2 milímetros de chuva. A média histórica para o mês é de 114,3 milímetros na região. A chuvarada provocou transtornos principalmente no trânsito da Capital, dificultando a circulação de veículos. 

Na Serra, o problema foi o granizo. Em Monte Alegre dos Campos, o temporal atingiu 200 residências, mas não chegou a expulsar as famílias de casa. 

Em nota, a Defesa Civil afirma que começou a distribuir materiais como lonas para os municípios atingidos. O órgão mantém o monitoramento das condições climáticas no Rio Grande do Sul. A previsão é de que a chuva só dê trégua a partir da quinta-feira. 

Para segunda-feira, o acumulado de chuva esperado é elevado em todo o Estado, principalmente na metade sul — entre a Região Central e a Fronteira Oeste, o risco de transtornos é maior. Mesmo com a chuva intensa, o calor e a sensação de abafamento não dão trégua no Rio Grande do Sul — em Caxias do Sul, na Serra, os termômetros devem marcar até 26ºC nesta segunda-feira.

Na terça-feira, novamente, a Região Central e a Fronteira Oeste serão as mais afetadas e com os maiores volumes de água, segundo a meteorologia. O potencial para granizo diminui, mas ainda há grande risco para transtornos como alagamentos e deslizamentos de terra e os ventos ganham intensidade e podem passar dos 65 km/h na metade oeste. Algumas cidades podem ultrapassar a média de precipitação para o mês de outubro. 


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.