Política

Zalewski era alvo de três queixas-crime de Marchezan

Coordenador de plano de governo de Melo havia sido obrigado a apagar postagens de rede social

17/10/2016 - 18h54min | Atualizada em 17/10/2016 - 19h45min
Zalewski era alvo de três queixas-crime de Marchezan Omar Freitas/Agencia RBS
Plínio Zalewski havia consultado um advogado para conduzir sua defesa e apresentava sinais de perturbação nos últimos dias Foto: Omar Freitas / Agencia RBS

Encontrado morto nesta segunda-feira, o coordenador do programa de governo de Sebastião Melo (PMDB), Plínio Zalewski, era alvo de três queixas-crime impetradas pelo comitê de campanha de Nelson Marchezan Júnior (PSDB). Em pelo menos uma delas a Justiça já havia se pronunciado. Na terça-feira passada, o Tribunal Regional Eleitoral determinou que Zalewski apagasse de seu perfil em uma rede social postagens que seriam ofensivas à honra do tucano.  

Leia mais
Quem era Plínio Zalewski, coordenador da campanha de Melo encontrado morto em Porto Alegre 
Marchezan suspende campanha após morte de coordenador de Melo
Chapas de Melo e Marchezan divergem sobre suposta invasão de comitê

Ao cumprir a determinação, Zalewski apagou de sua conta do Twitter todas as postagens recentes, deixando apenas tuítes datados de 2012. Marchezan comemorou a decisão judicial, tomada 30 dias após ter feito a denúncia.

— Mesmo com a demora do poder judiciário em se manifestar, fico esperançoso que daqui para frente a campanha eleitoral eleve o seu nível — disse o tucano em comunicado divulgado em seu site oficial.

Zalewski respondia a outras duas queixas-crime, uma por dano moral e outra criminal, por injúria, calúnia e difamação. Nos últimos dias, amigos relataram que o peemedebista estava perturbado. Ele chegou a procurar um advogado para sustentar sua defesa. ZH contatou o advogado, que não quis ser identificado. Em viagem à Arábia Saudita, onde soube da morte de Zalewski, ele disse que não comentaria o teor da conversa, mas confirmou que o assunto era as queixas-crime impetradas pelo comitê tucano. 

Questionado por Zero Hora, Marchezan comentou a escalada da virulência na campanha e as denúncias que havia feito contra Zalewski.

— Não acho que convém a gente misturar isso. Pode dar a entender uma questão que não tem nada a ver com a campanha, não agrega no esclarecimento das questões e não agrega valor a situação específica. Não deixa menos triste a situação. Esperamos que os criminosos do (ataque ao) nosso comitê sejam descobertos, e que sejam esclarecidos os motivos da morte do Plínio. Acho muito triste tentar fazer essa conexão agora.

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.