Polícia Civil

Execução no São Victor Cohab, em Caxias, é investigada como acerto entre criminosos

Andrigo Gabriel de Melo possuía sete indiciamentos por homicídios desde 2012

Por: Leonardo Lopes
10/01/2017 - 09h39min | Atualizada em 10/01/2017 - 10h51min
Execução no São Victor Cohab, em Caxias, é investigada como acerto entre criminosos Divulgação/
Andrigo Gabriel de Melo, 29 anos, foi executado na noite de segunda-feira Foto: Divulgação  

A Polícia Civil de Caxias do Sul investiga a morte de Andrigo Gabriel de Melo, na noite de segunda-feira, como um acerto envolvendo vida criminosa. Ele possuía sete indiciamentos por homicídios consumados e tentados desde 2012. Os processos seguem em andamento na 1ª Vara Criminal. Melo ainda era procurado desde 14 de dezembro, quando teve a prisão decretada por porte de arma de uso restrito.

Leia mais
Homem é tirado de carro e morto a tiros em Caxias do Sul
Morador de Caxias do Sul que estava desaparecido é encontrado morto
Morte brutal de agricultor na Serra teria sido vingança por denúncia de abigeato e roubo de tratores

Este crime é de outubro de 2014, quando Melo foi preso em flagrante pela Brigada Militar durante a compra de um fuzil na Avenida São Leopoldo. Na época, ele estava em um Clio acompanhado por Jonas Almeida de Mello, que foi assassinado, junto da namorada, com cerca de 40 tiros no bairro Planalto em outubro do ano passado.

O processo segue em andamento na 2ª Vara Criminal. O único réu que segue vivo é Fabio Rafael Schaefer de Quadros, apontado no flagrante como o vendedor do rifle que estava em um Tiguan. Ele responde ao processo em liberdade.

Melo também esteve envolvido em outro caso de repercussão em Caxias do Sul. Ele era o motorista de um C3 que foi perseguido e alvejado na Rota do Sol (RSC-453) em dezembro de 2015. A vítima fatal do ataque foi Santa Elisia Cortez Alonso, de 62 anos, que estava no banco de trás.

A idosa era moradora do bairro Bela Vista e tinha pedido a Melo que a levasse até a penitenciária do Apanhador, onde visitaria um filho que era apenado. O C3 era de uma amiga que também estava no veículo, mas saiu ilesa do ataque.

Naquele dia, Melo foi baleado, mas sem gravidade. Os atiradores estariam em um Corolla bege. Na sequência, um veículo com as mesmas características foi encontrado no bairro Mariland e diversas armas de fogo apreendidas enroladas em um cobertor. O caso segue em investigação na Delegacia de Homicídios e Desaparecidos (DHD).

 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.