TRAGÉDIA NO RÉVEILLON

Justiça nega pedido para revogar prisão de motorista do Camaro que atropelou três nos Ingleses

Defesa de Jeferson Bueno esperava que juiz derrubasse pedido de prisão preventiva para que o condutor se apresentasse à polícia 

12/01/2017 - 20h06min | Atualizada em 12/01/2017 - 21h21min
Justiça nega pedido para revogar prisão de motorista do Camaro que atropelou três nos Ingleses Reprodução/Facebook
Foto: Reprodução / Facebook  

Só resta a Jeferson Bueno se entregar à polícia ou tentar um habeas corpus. Nesta quinta-feira (13), o juiz Luís Francisco Delpizzo Miranda, da Vara do Júri de Florianópolis, negou o pedido de revogação da prisão preventiva contra o motorista do Camaro que matou Cristiane Flores e deixou mais duas pessoas em estado grave no Réveillon dos Ingleses.

Bueno, 29 anos, está foragido desde o dia do crime. O principal argumento do juiz é de que o condutor fugiu do local do acidente. A defesa empresário de Sapiranga (RS) esperava que a Justiça indeferisse o mandado de prisão para que ele se apresentasse à polícia sem ser preso.

A Polícia Civil catarinense segue as buscas a Bueno com apoio de agentes gaúchos. O delegado Eduardo Mattos, da Delegacia dos Ingleses (8ªDP), aguarda os laudos do IGP, prender e ouvir Jeferson para concluir o inquérito.

— Ele pode estar em qualquer lugar do País e até no exterior, já que o Rio Grande do Sul tem duas fronteiras. Rebemos denúncia de que ele estaria no Uruguai, no Paraná e até em São Paulo, e todas elas estão sendo checadas — disse o delegado.

Quatro pessoas estavam no Camaro

O inquérito ainda está aberto e em segredo de Justiça. Mas nesta quinta-feira, Mattos passou novas informações sobre a investigação. Conforme o delegado, haviam dois casais dentro do Camaro. Ele disse que imagens de câmeras de segurança mostram que o suspeito ficou apenas dois minutos no local, em seguida os quatro fugiram. E que em nenhum momento houve ameaça à integridade física do empresário. As outras três pessoas ainda não foram identificadas, mas devem ser ouvidas.

Essas novas informações vão contra o que alega a defesa de Bueno. O advogado Ademir Campana havia dito que o cliente ficou cerca de vinte minutos no local do acidente, prestou socorro e só fugiu com medo de ser linchado. O advogado não atendeu às ligações da reportagem para falar sobre a negativa da Justiça em revogar a prisão. No entanto, ele já havia dito que orientou Bueno a se entregar e que o cliente não quis.

O motorista se diz inocente e alega que o condutor do Audi é o culpado do acidente que matou Cristiane Flores, de 31 anos, e deixou em estado grave o marido dela, Nilandres Lodi, 38, e Gean Matos, 22, amigo do casal. Os dois já se recuperam e não correm mais risco de morrer. Nilandres, no entanto, teve as duas pernas amputadas.


 
 
 
Zero Hora No jornal Zero Hora você encontra as últimas notícias sobre esportes, economia, política, moda, cultura, colunistas e mais.